Olá leitor do Dinheirama! Dessa vez resolvi pegar a via contraria. Depois de um bom tempo escrevendo sobre sacadas, dicas, sugestões e tudo mais para estimular as pessoas a seguir uma jornada empreendedora de alto impacto (e com ideias diferenciadas), hoje resolvi apresentar os motivos do caminho oposto.

Comecei a pensar: “ok, quem então não deveria pensar em começar um negócio?” Porque, sinceramente com o passar de tantos anos ajudando no fomento das Startups, sempre acreditei que a maioria das pessoas poderia empreender, e que havia efetivamente um jeito para todos aqueles que querem, chegarem lá.

No entanto, hoje parei e pensei um pouco sobre quais são as razões pelas quais uma pessoa não deveria considerar iniciar um negócio neste momento. Vou listar 3 delas.

Ebook gratuito recomendado: Riqueza pessoal é possível

Não gostar de aventuras

Eis um fato: empreender é arriscado. Não importa o quanto você estude os melhores livros, nas instituições, faça cursos maravilhosos de empreendedorismo de alto impacto (startups), gestão de negócios e o que mais for.

Não há como fazer um planejamento perfeito, e consequentemente será ariscado. Por mais que você acredite que seu emprego é totalmente seguro, ele não é, mas no empreendedorismo uma certeza existe: o risco é maior.

Se você tem aversão, passa mal e suas “entranhas gritam” quando algo inesperado pode acontecer, então para tudo. Talvez empreender não seja mesmo para você.

Gostar de horários bem regrados

Em uma empresa comum ou num cargo público, o horário de entrada e saída é um divisor de águas na sua rotina.

Se você gosta de se organizar e saber como seu dia vai ser, e adora o fato de que muito raramente terá que ficar mais tempo no trabalho, por conta de algum assunto emergencial, então fique atento. No empreendedorismo o inverso é a regra.

Você quase nunca terá um horário bem definido, muitas coisas acontecem e você precisara resolver em horários que não gostaria.

Claro que estamos falando das pessoas que estão lutando para o negócio dar certo, pois aquelas que seguem um horário determinado de trabalho apenas comercial estão fadadas a falência.

Não adianta, empreendedoras e empreendedores ralam mais, e no inicio têm seus horários muito loucos… Se isso parece uma tormenta para você ou um “filme de terror que lhe tira o sono”, então o empreendedorismo de alto impacto (startups) pode não ser sua praia.

Podcast recomendado: Empreendedorismo e educação financeira nas escolas

Ter pânico de problemas

Problemas estão por toda a parte. Não importa qual seja o seu trabalho, você certamente os têm. A questão é que em um trabalho especifico, com chefe, equipe e tudo mais, você tende a conhecer as possibilidades de erros, e sabe lidar com a maioria deles.

Já no empreendedorismo, os problemas são expandidos para territórios desconhecidos. Eles acontecem em diversas áreas, com fornecedores, clientes e surgem em mais quantidade.

Claro, que se você está fazendo algo que gosta, criando um negócio seu, às vezes os problemas não afetam tanto. Ainda assim, eles vêm em grande quantidade.

Desta forma, se você tem quase uma fobia por problemas, é melhor ficar um pouco longe do empreendedorismo.

Considerações finais

Perceba que aqui a ideia é apresentar para você 3 motivos comuns e claros que podem impedir que você escolha seguir o caminho do empreendedorismo de alto impacto (startups).

Muitas pessoas não nasceram para serem empreendedoras. Se você possui uma (ou todas) as características acima, talvez não seja o momento de partir para um negócio próprio e novo.

Por outro lado, se o seu desejo for muito forte e você estiver disposto a “pagar o preço” para enfrentar essas dificuldades e vencê-las, vale à pena tentar!

Quando você escolhe empreender para alcançar o seu proposito, é como se você criasse uma estrada para buscar seu sonho, ao invés de seguir por uma trilha já conhecida.

Me despeço com este vídeo, que poderá lhe ajudar a pensar sobre o fato de ter ou não uma boa ideia de negócio. Abraços e até a próxima!

Bruno Perin
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários