Black Friday: cá estamos nós em novembro e você já deve estar recebendo uma série de e-mails relacionados à esta época do ano, certo? Por isso é fundamental estar atento aos gastos, tanto para aproveitar eventuais oportunidades quanto para não desembolsar dinheiro à toa e se endividar prejudicando o orçamento nos meses seguintes.

É natural que, como seres humanos que somos, tenhamos que ter um cuidado extra para não cair em tentações que são vendidas como grandes oportunidades por aí. É muito fácil, inclusive, que a gente compre coisas sem o menor sentido se não estiver emocionalmente blindado e com focos muito bem definidos.

Separei alguns pontos importantes para você avaliar agora antes que se sinta na obrigação de comprar algo nos próximos dias. Vamos lá?

Super Poupança: Na Grão sua rentabilidade chga 106% da Poupança (Conta Grátis)

1. Lembre-se que nem sempre as coisas são como são

O mercado muitas vezes vende “ofertas maravilhosas”, mas se você não comparou os preços antes, pode descobrir que as tais ofertas não têm nada de espetacular.

Tente ficar mais atento ao sentimento de “oba-oba” que a mídia vende e cheque o que é realmente verdade nas promoções.

2. Confira se você realmente precisa do produto

Lembre-se sempre que comprar por comprar pode arruinar a sua vida financeira. Já conheci gente que nem filhos tinha e que comprou roupinhas de bebê porque estavam baratas demais dizendo que “nunca se sabe quando aparece uma oportunidade de dar de presente”.

Avalie seus planos e metas para uso do seu dinheiro antes de gastar uma quantia que poderia ser utilizada para algo muito mais importante dentro do seu planejamento.

3. Se quiser realmente algo, compare os preços

Se você realmente estiver pensando em comprar algo e quer aproveitar eventuais descontos, não se esqueça de checar os preços antes da Black Friday e comparar algumas opções depois em diferentes locais de venda.

4. Avalie quanto pode gastar na Black Friday

Imponha um limite para os gastos. Se a intenção é, por exemplo, comprar já alguns presentes de Natal ou algo que você realmente esteja pensando em comprar adiante, limite os gastos para essa ocasião.

Cuidado para não se endividar agora e lá na frente nem saber direito o que fez. Tenho certeza que você não vai querer começar 2020 com as finanças no vermelho por conta de uma empolgação momentânea, certo?

Super Poupança: Na Grão sua rentabilidade chga 106% da Poupança (Conta Grátis)

5. Compre em locais confiáveis

Se for comprar, é fundamental que você compre em locais confiáveis e esteja com o computador e o antivírus atualizado.

Nestas fases costuma haver muita fraude e vale a pena checar a reputação da empresa para não ter dor de cabeça depois. Desconfie de ofertas milagrosas também.

6. Na Black Friday, leia as “letras miúdas”

Cheque com cuidado se a compra permite troca, qual o prazo de entrega e outros itens. Muitas vezes, na empolgação, esquecemos de revisar pontos superimportantes e é aí que o problema acontece. Tenha em mãos o site do Procon caso precise consultar algo.

7. Pagamento à vista na Black Friday se possível

Comprar à vista usando o débito no lugar de parcelar pode ser uma ferramenta importante para você ganhar um desconto maior e não gastar mais do que deveria.

É natural que muita gente pense apenas no valor da parcela para fazer gastos maiores, sem considerar o total final nem verificar o quanto está desembolsando por algo que pode não ter muita importância!

8. Paciência pode ajudar o bolso

Finalmente, fique atento a dicas do Procon e de especialistas em educação financeira e lembre-se que depois que essa fase passa é que muitos dos descontos começam realmente a chegar com mais força. Se você tiver paciência para aguardar janeiro, por exemplo, pode ser que você encontre promoções ainda melhores.

Neste mês, as pessoas costumam estar sem dinheiro por conta de já terem gastado demais no final do ano, e é aí que o comércio realmente precisa oferecer promoções boas para vender mais!

Super Poupança: Na Grão sua rentabilidade chga 106% da Poupança (Conta Grátis)

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários