Home Economia e Política CAE vota projeto que destina recursos de loterias para calamidades públicas

CAE vota projeto que destina recursos de loterias para calamidades públicas

O PL 580/2019 foi proposto pelo então senador Alvaro Dias (PR) e destina um ponto percentual da arrecadação total da arrecadação de loterias para o Funcap

por Agência Senado
0 comentário
Vista de Lajeado, no Rio Grande do Sul, uma das cidades atingidas por ciclone extratropical esta semana

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) pode votar na terça-feira (12) o projeto de lei (PL) 580/2019, que destina parte da arrecadação de loterias para o Fundo Especial para Calamidades Públicas (Funcap). Outra proposta, o PL 1.658/2023, direciona recursos das loterias para o Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), conhecido como “Terra Brasil”. A reunião está marcada para as 9h e a pauta inclui dez itens. 

O PL 580/2019 foi proposto pelo então senador Alvaro Dias (PR) e destina um ponto percentual da arrecadação total da arrecadação de loterias para o Funcap. De acordo com a justificativa do projeto, a ausência de recursos para o atendimento imediato em situações de calamidade faz com que os governos municipais e estaduais recorram à União, de maneira “desesperada”. Para o relator, senador Carlos Viana (Podemos-MG), “o tema não poderia ser mais atual”.

“Temos observado um crescimento do risco de desastres no Brasil. As múltiplas causas envolvem, por exemplo, os modelos de ocupação de áreas de encostas ou de áreas sujeitas a inundações e as mudanças climáticas globais. Os prejuízos materiais — sempre difíceis de estimar — seguramente alcançam bilhões de reais. Ainda mais grave: esses eventos, na maior parte das vezes, estão associados à perda de vidas humanas”, argumenta.

Crédito fundiário

O senador Jaime Bagattoli (PL-RO) é autor do PL 1.658/2023, que direciona recursos das loterias para o “Terra Brasil”. Ele também aponta a dificuldade em arrecadar recursos para o programa, destinado a financiar a aquisição de imóvel rural, estruturação da propriedade e do projeto produtivo e contratação de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater). O projeto destina 1% da arrecadação dos bilhetes para aplicação no financiamento.

População de rua

Também na pauta está um projeto de iniciativa do senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP), o PL 1.635/2022, que garante acesso à alimentação gratuita, água potável, itens de higiene básica e banheiros públicos para a população em situação de rua, a partir da criação do Estatuto da População em Situação de Rua.

O projeto também prevê a criação de um Fundo Nacional destinado e de Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento para financiar  ações com objetivo de assegurar os direitos sociais e promover a autonomia, integração e participação dessas pessoas na sociedade. Além disso o projeto criminaliza a aporofobia, ato que envolve discriminação contra a pessoa em razão de sua condição de pobreza.

Pensão por feminicídio

A CAE pode votar também o PL 976/2022, que institui pensão especial aos órfãos em razão do crime de feminicídio. O projeto, da deputada Maria do Rosário (PT-RS), tem como relatora a senadora Augusta Brito (PT-CE). De acordo com o texto, a pensão será mensal, intransferível e terá o valor de um salário mínimo até a criança ou o adolescente cuja mãe tenha sido assassinada completar 18 anos de idade. O impacto orçamentário anual deve ser de R$ 10,52 milhões, aponta o relatório. 

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Mail Dinheirama

Faça parte da nossa rede “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.