Home Mercados Ibovespa: veja os 12 destaques do fechamento de hoje; Azul desaba mais de 10% 

Ibovespa: veja os 12 destaques do fechamento de hoje; Azul desaba mais de 10% 

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 1,14%, a 125.946,09 pontos

por Reuters
0 comentário

O Ibovespa (IBOV) fechou em queda nesta sexta-feira, no menor patamar em mais de quatro meses, na casa dos 125 mil pontos, com pessimismo em Wall Street e aversão global ao risco, enquanto as ações de Prio (PRIO3) foram o destaque positivo na sessão.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 1,14%, a 125.946,09 pontos, nível mais baixo de fechamento desde 6 de dezembro. Na máxima do dia, chegou a 127.639,90 pontos. Na mínima, a 125.635,13 pontos.

O volume financeiro somou 23,4 bilhões de reais.

O índice operou de lado durante parte da manhã e chegou a apontar alta na semana, mas perdeu tração e encerrou com recuo semanal de 0,7%.

Na análise de Ângelo Belitardo, gestor da Hike Capital, o desempenho da bolsa brasileira reflete uma semana marcada por dados decepcionantes sobre a inflação nos Estados Unidos.

“Esses dados de inflação piores (do que o esperado) nos EUA fizeram com que a curva de juros aqui no Brasil se estressasse”.

As taxas dos DIs fecharam em alta, com a taxa para janeiro de 2025 em 10,075% no final da tarde, ante 10,069% do ajuste anterior, enquanto o retorno do Treasury de 10 anos marcava 4,5196%.

Em Wall Street, os três principais índices acionários também tombaram mais de 1% cada.

“O que a gente tem hoje no mercado é uma sessão clássica de maior aversão ao risco”, resumiu o economista Victor Beyruti, da Guide Investimentos.

Destaques

Petrobras (PETR4) recuou 0,92%, a 38.94 reais, e Petrobras (PETR3) perdeu 0,81%, a 40,3 reais, sem que os papéis conseguissem se ancorar na alta dos preços do petróleo no exterior. “O papel abriu com ‘gap’ de alta, e após trinta minutos de pregão começou um movimento vendedor”, destacou o analista Alan Soares, da Toro Investimentos.

Nesta sexta-feira, após decisão judicial de primeira instância que suspendeu o presidente do conselho de administração da estatal, o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, disse estar confiante de que o chairman da Petrobras, Pietro Mendes, continuará no posto, acreditando em uma reversão da decisão.

Prio (PRIO3) valorizou-se 2,13%, a 50,86 reais, entre as poucas ações no azul ao fim do pregão e com a maior alta percentual do Ibovespa, tendo como pano de fundo decisão arbitral que dá à petroleira direito sobre a totalidade da produção de óleo na concessão Wahoo.

Analistas do Citi disseram que a medida deve impulsionar a produção de petróleo da companhia e implicar em menor custo operacional, dado o fim da taxa de movimentação da Wahoo com o navio-plataforma (FPSO) no campo de Frade.

Vale (VALE3) teve declínio de 0,37%, a 61,63 reais, na contramão de novo avanço nos contratos futuros de minério de ferro, em meio à perspectiva de demanda mais positiva na China, maior mercado consumidor do minério, e à melhora dos fundamentos no curto prazo.

O contrato de setembro do minério de ferro mais negociado na Bolsa de Mercadorias de Dalian (DCE) da China encerrou a sessão do dia com alta de 3,12%, a 843,5 iuanes (116,57 dólares) a tonelada.

A mineradora também informou nesta sexta-feira que realizou as obras de correção de uma anomalia anteriormente identificada em dispositivo de drenagem da barragem Forquilha III, da mina de Fábrica em Ouro Preto (MG).

Itaú Unibanco (ITUB4) recuou 1,04%, a 32,46 reais, enquanto Bradesco (BBDC4) perdeu 1,25%, a 14,21 reais, ambos os papéis em seu terceiro dia consecutivo de queda.

Banco do Brasil (BBAS3) encerrou em queda de 1,3%.

Azul (AZUL4) despencou 10,07%, a 11,16 reais, com fatores como estresse da curva de juros, alta do dólar ante o real e aumento dos preços do petróleo no exterior impactando o desempenho das ações de empresas cíclicas, incluindo as do setor aéreo.

JSB (JBSS3) registrou queda de 0,9%, a 22,1 reais. A produtora de carnes informou que vai investir 150 milhões de reais para duplicar a capacidade de processamento e a força de trabalho de sua unidade Campo Grande II, em Mato Grosso do Sul.

Ainda no setor de alimentos, BRF (BRFS3) caiu 3,85%.

Multiplan (MULT3) perdeu 2,65%, a 24,64 reais, apesar de avaliação positiva de analistas do Santander sobre o anúncio da operadora de shopping centers na véspera da venda de um terreno adjacente ao RibeirãoShopping, que abrigará um projeto multiuso a ser desenvolvido por um empreendedor local, por 48,4 milhões de reais.

Segundo os analistas, o projeto deve aumentar a densidade populacional nos arredores do shopping. O Santander tem preço-alvo de 36 reais para as ações da Multiplan.

Jhsf (JHSF3), que não faz parte do Ibovespa, afundou 8,1%, a 4,2 reais, depois que o Tribunal de Justiça de São Paulo determinou o embargo das obras em um megacomplexo da empresa em Porto Feliz (SP) após uma ação civil do Ministério Público questionar o fracionamento dos estudos de impactos ambientais de empreendimentos da incorporadora na região.

A JHSF disse em fato relevante que está atuando para esclarecer o assunto e tomando as medidas cabíveis ao caso.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.