O leão já está batendo à porta e chega a hora de declarar o Imposto de Renda. É obrigado a fazer a declaração quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70; quem investiu em Bolsa de Valores; quem recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributáveis na fonte, acima de R$ 40.000, e etc. Para saber exatamente quem precisa declarar, acesse o site da Receita Federal.

É preciso considerar que este ano o prazo será mais curto, começando no dia 07 de março e terminando no dia 30 de abril, portanto, não bobeie! Para ajudar, explicamos aqui o que você pode deduzir do IR e também quem pode constar como dependente, pontos sempre importantes para pagar menos imposto ou receber eventual restituição. Confira!

O que é possível deduzir no IR:

Para começar, você pode deduzir o valor anual de R$ 2.275,08 por dependente. Mas quem pode ser seu dependente no IR? Vamos às alternativas e lembre-se de checar se é o caso antes de incluir alguém, ok?

  • Cônjuge ou companheiro com quem o contribuinte viva há mais de 5 anos ou com quem tenha filhos;
  • Filhos ou enteados até 21 anos ou em qualquer idade caso sejam incapacitados física ou mentalmente para o trabalho;
  • Filhos ou enteados até os 24 anos se estiverem cursando segundo grau técnico ou ensino superior;
  • Irmãos, netos ou bisnetos sem arrimo dos pais caso o contribuinte tenha guarda judicial dos mesmos. Neste caso valem as mesmas condições citadas acimas para os filhos e enteados;
  • Pais, avós e bisavós que tenham recebido rendimentos tributáveis ou não de até R$ 22.847,76 no ano de 2018;
  • Menor pobre até 21 anos caso o contribuinte tenha a guarda judicial do mesmo;
  • Incapaz que esteja sob tutela ou curadoria do contribuinte.

6 detalhes importantes:

  1. Você também pode deduzir as contribuições realizadas para a Previdência Social da União, Estados, DF e Municípios. No caso da Previdência Privada do tipo PGBL, é possível deduzir até 12% do total dos rendimentos tributáveis no ano.
  2. As despesas médicas, como seguro saúde, planos médicos e odontológicos, hospitalização, consultas com médicos, dentistas, psicólogos, terapeutas, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, hospitais, exames, aparelhos ortopédicos e próteses podem ser deduzidas.
  3. As despesas com educação do contribuinte e dependentes podem ser deduzidas até o limite de R$ 3.561,50 por ano.
  4. As despesas escrituradas em Livro Caixa podem ser deduzidas quando permitidas.
  5. Valores relacionados à pensão alimentícia podem ser deduzidos quando forem resultado de cumprimento de decisão judicial ou acordo homologado judicialmente ou por escritura pública.
  6. Finalmente, a soma das parcelas isentas relacionadas à aposentadoria, pensão, transferência para reserva remunerada ou reformas pagas pela Previdência oficial ou Previdência privada podem ser deduzidas a partir do mês em que o contribuinte complete 65 anos.

Agora que você já sabe exatamente se precisa fazer sua declarção e o que pode deduzir do IR, separe toda a documentação correspondente e se prepare para o preenchimento da declaração. No site da Receita Federal há mais detalhes caso você ainda tenha dúvidas.

Lembre-se que quanto antes e mais corretamente você declarar, maiores as chances de receber eventual restituição antes também, o que é sempre bom, certo?

Ao longo dos próximos dias traremos mais artigos e informações importantes sobre Imposto de Renda. Até a próxima!

Oportunidade: Os melhores investimentos estão no Modalmais o Banco Digital do Investidor (abra sua conta gratuitamente)

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários