Sucesso - Vencer a qualquer custo!Quanto blog novo. Uau. Todos querem fazer o maior sucesso. Todo mundo agora é problogger. Ora, por que não eu? A febre dos probloggers (confesso que este é um termo novo pra mim) acaba, involuntariamente, criando um enorme grupo de blogueiros sem conteúdo, oferecendo artigos copiados e esperando que o AdSense (termo relativamente novo pra mim) e outros plugins os deixem ricos e famosos da noite para o dia. O sucesso é o que todos querem, mas será que ele quer todos nós? Vou me arriscar a deixar algumas palavrinhas sobre o sucesso por aqui. O assunto não tem nada a ver com dinheiro, tudo bem, mas tenho certeza de que vai ser uma viagem e tanto. Será?

Somos programados para vencer. Competir faz parte, mas não importa. Não adianta estar se destacando, é preciso ser o destaque o tempo todo. Nós não aceitamos que alguém possa entender mais de qualquer assunto. Não aceitamos ser repreendidos por nossos chefes ou gerentes, mesmo sabendo que aquilo poderia ter sido feito com mais dedicação. Não adianta. Mesmo sabendo que não era exatamente aquilo que nos pediram, não aceitamos. Não concordamos em errar e ouvir uma crítica. Afinal, existe blog melhor que o seu por ai? Ficamos tão ocupados tentando achar o bendito sucesso, que ele não aparece. Será que não andamos ocupado demais?

Nossa sociedade cultua os poderosos, os cheios de energia, os sabichões e os intelectuais. Estes que levantam a bandeira do modelo único de sucesso, cheios de orgulho por trabalharem até tarde, lerem 50 livros por mês, por serem os artistas que ganham milhões. Não há mal nenhum disso, afinal todos queremos chegar lá, certo? Seria hipocrisia sua dizer que não. Só que sucesso não se compra enlatado, não se copia. O melhor problogger que conhece pode ser o último modelo de sucesso para o seu perfil. Cuidado.

Uma das frases que mais ouvi até hoje é “Você precisa ser o melhor naquilo que faz”. Será que quem vive repetindo esta frase é realmente o melhor naquilo que faz? E se é, será que é feliz? Duvido muito. Enganam-se, criando uma casca, frágil e perigosa, onde vemos o rótulo de homem moderno, preparado. Mas é uma casca que não dura muito. Vivem crises de estresse, problemas conjugais, relacionam-se mal com os filhos. Isso é estar preparado? Tudo porque tentam ser o que não podem. Pelo menos não a todo instante. E nós, ainda mais fracos, nos deixamos enganar por este fracassado modelo de sucesso, engolindo livros e opiniões com fórmulas mágicas de dar inveja ao bruxinho Harry Potter. Será este o seu caso? Será o meu?

Você nunca será o melhor só porque quer. Aceite isso. O sucesso vem se você souber o que fazer com ele de maneira a alcançá-lo com propriedade e autenticidade. Esforçe-se sim, e muito, para chegar lá. As pessoas que agem sendo as melhores o dia inteiro, “os bons”, quase sempre passam a vida correndo em uma esteira ergométrica. Não se discute que fazem um enorme esforço, criam músculos e se aperfeiçoam, mas no final não chegam a lugar algum. Pior, estão no mesmo lugar de onde partiram. E a vida passou, ali do lado de fora da janela.

Portanto, esqueça o modelo ideal de sucesso e trate de ser feliz. E ser feliz significa ser quem você é, sempre. Blogar pela troca de experiências. O dinheiro pode ser a consequência, mas nunca a causa. Pare de agradar e impressionar aos outros e aceite que o único sucesso possível é aquele que só você sabe como alcançar. Faça algo original de sua vida, de seu blog, não deixe-se transformar em mais uma cópia andando por ai.

Alguns dizem que o blog pode ser tudo que a pessoa não é ou nunca foi na vida offline. Discordo, on ou offline, seu caráter sempre se revelará o mesmo. Fraude aqui, fraude lá. E isso está bem claro em muitos lugares da blogosfera. O sucesso só é merecido e absoluto quando há bom senso e respeito. Muitos “probloggers” (entre aspas mesmo) andam desesperados, chateados e tristes por ai. Certamente um dos motivos de tanto desespero é a busca neurótica, e burra, de ser o melhor o tempo todo. Pare de querer ser como eu, como ele, como qualquer um. Se o problema é ser você, ser você é a única solução. Simples assim. A esta altura, estou surpreso diante de tão óbvia constatação. Será que exagerei? Pelo sim, pelo não, vou reler o artigo mais algumas vezes. Pode ser que eu tenha me esquecido de algo. Ou não. Ufa.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários

  • Anônimo

    Muito bom.

  • Right on, brotha 🙂

  • Anônimo

    Navarro,os jovens de vinte e poucos de hoje são a “geração X” – vi esse termo em um texto de sociologia – e uma das principais características desse grupo é a pressa. O anseio em queimar etapas, a falta de paciência com projetos de longo prazo.

    E essa onda de novos adsense-blogs é um reflexo direto disso. Muita gente parece achar que se trata da bala de prata que vai dar grana fácil e em pouco tempo.

    “Alguns dizem que o blog pode ser tudo que a pessoa não é ou nunca foi na vida offline. Discordo, on ou offline, seu caráter sempre se revelará o mesmo. Fraude aqui, fraude lá. ”

    Grande verdade.

    Abraço,

    Guilherme
    http://www.papodehomem.com.br

  • Falar de sucesso é simples, seja para deixar formulas mágicas, seja para criticar as formulas secretas daqueles que decidem apresentá-las…

    Mas a verdade é que a única coisa realmente dificil não é atingir o sucesso, mas definí-lo. No dia percebemos o que é realmente o sucesso é fácil definir qual o próximo passo no seu sentido.

    Sim, e nem sempre o sucesso é um alvo estático. Muitas vezes é algo móvel. Não é ter mas ser, não é estar mas fazer.

    Pessoalmente basta-me ter dinheiro para “o bilhete de cinema e as pipocas”. O resto é bem mais interessante do que o dinheiro. Existe uma grande quantidade de coisas que tenho para fazer (e em que estou a trabalhar), mas mais importante do que terminá-las é estar mais tempo com a minha esposa, é fazer algumas coisas que me dão prazer (como ver StarGate todos os sábados).

    E para mim sucesso é poder sentar-me no sábado à tarde no sofá abraçado à minha esposa a ver o stargate, sem ter preocupações de maior. Mas isso, obviamente, é a minha forma de ver as coisas.

    themage

  • è verdade. O problema do mundo, que se reflete nos bloggers e probloggers é que todos desejam o resultado. Vivemos na cultura do resultado. Estamos sempre saindo de um ponto para chegar no outro, e chegar rápido é sempre melhor. Nisso, acabam escolhendo a consequência ao invés de um objetivo.
    È como fazer sexo querendo apenas o orgasmo e desprezando todo o resto. Muitas vezes o caminho para o objetivo é a parte mais legal.

    A consequência nunca pode ser o seu objetivo. Pensar assim é não ter um objetivo realmente.

  • Perfeito, direto, simples.

    Como a vida, mas como na vida a gente é que complica, imagina um simplessímo dum blog?

    abraço

  • Pingback: Vamos ser felizes? « Liquidificador()

  • acaba que nenhum blog sobrevive só com conteúdo copiado e sem opinião da pessoa. Clar que podemos veicular novidades e comentar sobre elas nos blogs, mas também é necessário fazer conteúdo próprio, do contrário, os visitantes acabam acessando os blogs que a pessoa copia e esquecem dele 🙂

  • Navarro.

    Você tem toda razão. Já fui muito criticado por dizer publicamente que abri mão de emprego de 6000 reais em uma multinacional (um valor muito bom para Porto Alegre), porque eu perderia liberdade, perderia a possibilidade de fazer muitas coisas que hoje me são possíveis, como pausas para almoço que vão das 11h às 14h.

    Sucesso, pra mim, não é só ter carro e grana (carro nem tenho), e sim ser feliz fazendo o que gosto. E, definitivamente, ambientes de trabalho engessados, seguindo o modelo “linha de produção”, me fazem extremamente infeliz.

    Abração!

    Janio

  • Cara!
    Perfeito esse post, você foi muito feliz e ilumidado pra escrever, isso tem muita gente (inclusive eu) que merecer ler isso.
    Você começou o post com um assunto, mas foi caminhando por assuntos e soube (muito bem!) deixar o texto muito interessante e agradavel de ler até o final.
    Congratulations!

  • Alexandre

    Muito bom cara!

  • Muito boa sua analise… Com este boom, temos muito blog e pouco conteúdo. Nossa publicação, Revista Orkut.etc.br (http://www.orkut.etc.br), oferece aos assinantes espaço para blogarem, e tem sido deplorável a qualidade do material… Felizmente, tudo se regula com o tempo.

    Saudações,
    da redação
    Revista Orkut.etc.br

  • Sempre bom esse tipo de reflexão. Há também um viés igualmente doloroso que é chegar aonde esperam que vc chegue e verificar que a sensação de vazio não se modifica pelo “quanto” você conquista…Admiro profundamente a coragem de quem consegue furar o sistema – como o Jânio do comentário acima…
    Abraços,

  • Tânia E.

    LEGAL!
    Me despertou uma vontade de ter um blog. Mas como criar um blog? Podem me ajudar?
    sds
    Tânia