11 mar Vida Sustentável

Impactos sociais e ambientais do consumo

Você tem idéia dos impactos provocados pelos seus hábitos de consumo? O consumidor consciente se preocupa com esse aspecto e leva em conta o meio ambiente em suas decisões.

por Elaine Costa
há 5 anos

Impactos sociais e ambientais do consumoApós definir uma necessidade de consumo e escolher um produto através da relação custo/benefício, é o momento de considerar alguns aspectos inseridos em nossas escolhas, mas que nem sempre conseguimos perceber. Conforme discorri no artigo “Inteligência Ecológica – o impacto do que consumimos”, quando olhamos para um produto nem sempre conseguimos perceber a cadeia de impactos que está por trás ou associada a ele.

Por essa razão, reuni a seguir os pontos mais importantes relativos aos impactos do consumo relacionados à sociedade e ao meio ambiente[bb]. Embora não esgotem a questão, o uso desses itens no dia-a-dia pode representar uma grande mudança na forma como nos relacionamos com nosso consumo.

Aspectos sociais: o que considerar?
Primeiro, adquira sempre produtos originais e exija nota fiscal. Somente através do comércio legal pode-se buscar igualdade nas competições de mercado. Verifique onde o produto foi fabricado. Quanto mais próximo de nossa casa, melhor. Ao comprar um produto oriundo da economia local, estamos ajudando a fortalecer essas empresas e colaborando para o desenvolvimento da região. Verificar a origem é importante também para evitar produtos de regiões ou países com práticas sociais inadequadas.

Opte por produtos oriundos da economia verde e avalie adotar algumas de suas práticas. Produtos com o selo “fair trade” garantem que sua produção promoveu relações de comércio mais justas e solidárias. Redes ou cooperativas de consumidores facilitam o acesso a produtos orgânicos com um preço acessível. E feiras de troca mostram ser possível existir relações comerciais que não se baseiam em dinheiro.

Além disso, pesquise as práticas de responsabilidade social das empresas. Isto é, verifique se adquirem matéria-prima e componentes a um preço justo (sem usar o poder de barganha para levar vantagens sobre pequenos produtores), se não usam mão-de-obra infantil ou escrava (direta ou indiretamente), se respeitam acordos coletivos, se estão em dia com impostos e taxas, se pagam os funcionários em dia, se têm boas práticas em gestão de pessoas[bb], se compartilham com a comunidade parte de seus lucros em forma de programas e ações sociais, entre outras coisas.

Devemos também fazer uso das novas regras do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em relação a doações para campanhas. Antes, só os candidatos conheciam seus financiadores. Agora, todos nós podemos conhecer (pelo menos, esperamos que sim).  Essa é uma questão social muito importante, já que a influência de empresas e organizações sobre o processo democrático pode distorcer o papel do Estado. Acompanhe e fiscalize, pois, antes de qualquer outra atividade, um político deve defender os interesses das pessoas que o elegeram.

Impactos ambientais: o que avaliar?
Busque conhecer as práticas de responsabilidade ambiental das empresas, principalmente daqueles produtos que você adquire regularmente. Avalie se ela reconhece o impacto do seu negócio, busca reduzi-lo por meio de processos mais modernos e trabalha para compensá-lo por meio de ações concretas. Sempre que possível, escolha produtos com certificados que indiquem compromisso com o meio ambiente – conheça os principais selos de certificação no portal Planeta Orgânico. Ao consumir produtos certificados, ajudamos a fortalecer esse mercado.

Escolha produtos feitos com materiais que não agridem o ser humano, os animais e o meio ambiente. Observe se a maior parte dos componentes são naturais ou orgânicos, atóxicos, renováveis e/ou recicláveis. Não podemos esquecer que após ter esgotada sua utilidade, um item pode retornar à natureza. Por isso, é importante que seus componentes não causem contaminações.

Verifique a durabilidade e a possibilidade de reparo de bens duráveis. As principais matérias-prima desses itens são petróleo e cobre, dois recursos não renováveis. Além disso, só consumo de bens duráveis eletrônicos descartam cerca de 65.000 toneladas de lixo perigoso ao ano. Observe a embalagem dos produtos que compra. Embora a grande maioria seja reciclável, repensar e reduzir a geração ainda é o melhor negócio.

Escolha eletrodomésticos e eletrônicos[bb] de baixo consumo energético. O aumento da demanda por energia tem sido a grande discussão que coloca em campos opostos o crescimento econômico e a preservação dos recursos naturais, embora devessem estar do mesmo lado. Não é possível crescer sem energia, como também não é possível viver sem recursos oriundos da natureza. Por essa razão, eficiência energética é fundamental.

Avalie o quanto um produto viajou para chegar até você. Quanto menor a distância entre o fabricante e o consumidor, menor será a necessidade de consumo de combustíveis fósseis e a emissão de gases do efeito estufa (oriundos do transporte). Considere sempre a possibilidade de comprar itens de segunda mão. Livros, roupas, móveis, acessórios e até artigos para construção podem ser encontrados em bom estado a preços acessíveis. Reaproveitar produtos em bom estado reduz o impacto tanto na produção quanto na geração de resíduos.

Verifique se os itens de que necessita existem em versão virtual, como no caso de livros, revistas, músicas e outros. Vários são os benefícios dessa escolha, desde economizar a matéria-prima necessária na produção até evitar as emissões de gases oriundos do transporte. Reduzir o desperdício de alimentos também faz parte de uma boa compra. Por isso, o ideal é planejar o cardápio e fazer mais compras semanais. A adoção dessa prática propicia mais itens frescos e saborosos, compras em menor quantidade e evita que os alimentos estraguem na geladeira ou na despensa.

Considerações
Como disse antes, os pontos apresentados nem de longe esgotam o assunto. Existem muitas outras relações de causa-efeito que não conhecemos, principalmente aquelas que ficam distantes do nosso dia-a-dia. Tudo se relaciona com tudo, até mesmo fatos que inicialmente se apresentam isolados. Por essas e outras razões é tão difícil encontrar processos e produtos realmente sustentáveis.

Mas devemos seguir em frente. Os mercados mudam para se adequar às necessidades dos consumidores. Então, quando agimos como consumidores conscientes, influenciamos os mercados para que sejam mais justos e solidários. Você pode escolher fazer parte de uma mudança ou esperar que nada de pior aconteça. Ser proativo ou apenas seguir no piloto automático. O que prefere?

Crédito da foto para freedigitalphotos.net.

Elaine Costa

Administradora pós-graduada em Administração Industrial, com formação em Design em Permacultura pelo IPEMA - Instituto de Permacultura e Ecovilas da Mata Atlântica. Trabalha há mais de cinco anos com Clima Organizacional e Sistemas de Gestão para Qualidade, Meio ambiente, Saúde e Segurança. É fundadora do blog Mais Com Menos, no qual ensina como transformar resíduos orgânicos em adubo, entre outras práticas sustentáveis

Leia todos os artigos de Elaine Costa
Importante: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.