Você já está sabendo que o rotativo do seu cartão de crédito vai mudar? Sabe aquela opção de pagar o mínimo na fatura do cartão de crédito e que, na maioria das vezes, leva os consumidores a uma dívida incontrolável e tem juros exorbitantes?

Então… isso vai mudar. A ideia é exatamente evitar esse endividamento excessivo (e caro). A partir do dia 03 de abril, você não terá mais essa opção.

Com base em dados mais recentes da Anefac, de fevereiro, a taxa média de 15,16% ao mês no crédito rotativo equivale a 444,03% ao ano. Ao fim de três meses, uma dívida de R$ 1 mil na fatura do cartão subiria para R$ 1.527,23. Ao fim de 12 meses, equivaleria a R$ 5.440,26.

Com a nova regra, pela qual a taxa mais alta – de 15,16% ao mês – incidirá nos primeiros 30 dias e a taxa de 8,3% ao mês incide nos meses restantes, a dívida aumenta para R$ 1.350,70 em três meses e para R$ 2.768,31 em 12 meses. A diferença chega a 11,6% em 90 dias e a 49,1% em um ano. O cálculo leva em conta as taxas médias de juros.

Por isso, neste artigo quero mostrar como a rolagem da dívida no cartão de crédito vai funcionar a partir desta data.

Veja um exemplo: vamos supor que sua fatura total do cartão ficou em R$ 500 esse mês. Você decidiu pagar o mínimo, que era R$ 75; no mês seguinte, terá que pagar os R$ 425 da fatura anterior mais juros e mais encargos. Ou seja, o valor integral.

Você não poderá mais pagar parte da fatura, como fez no mês anterior. Agora vai ser diferente: se você não puder pagar o valor total da fatura, poderá optar pelo parcelamento da dívida com parcelas fixas e juros bem menores.

Essas opções de parcelas virão apresentadas na própria fatura. As taxas de juros e as formas de parcelamento irão variar de acordo com banco o emissor de cada cartão de crédito.

Dessa maneira, você poderá se planejar melhor, pois saberá exatamente o valor a ser pago e por quanto tempo terá que arcar com a dívida feita no cartão de crédito.

Caso não opte por nenhuma alternativa, seu saldo será automaticamente parcelado de acordo com o número de parcelas definidos pelo emissor.

Como será a mudança no meu cartão de crédito?

Para que você não fique em dúvida sobre como as mudanças serão implementadas e tratadas em cada banco, clique nos links abaixo (de acordo com o banco onde tem conta e que emitiu seu cartão de crédito) e entenda melhor o que cada instituição vai fazer:

Quando você utiliza a opção de financiar o saldo, isso compromete o limite do cartão, que será restabelecido mediante os pagamentos das parcelas.

Atenção: mesmo com as novas regras, contar com a opção do rotativo do cartão de crédito como extensão do seu salário não deve ser uma alternativa. Até mesmo em momentos de emergência, o que deve te acudir é sua reserva de oportunidades. Para isso, é bom começar a criá-la já.

Comece com R$ 1.000 para os pequenos imprevistos do dia a dia e depois junte uma reserva de no mínimo três meses do seu custo de vida, até chegar aos seis meses de reserva guardada.

Até lá, essas novas mudanças vieram para ajudar quem precisa optar pelo rotativo do mesmo jeito.  Para quem já está acostumado a pagar toda fatura do cartão, não muda nada. Se você já pratica a educação financeira, apenas continue assim! Até a próxima!

Maiara Xavier
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários

  • ricardo

    Nao condeno ninguem que tenha cartao de credito,mas para mim sempre funcionou assim,nao tenho cartao de credito,e so compro algo que preciso qdo tenho o dinheiro p pagar a vista e com um bom desconto.Claro que para gastos de valores altos devemos fazer as contas para as parcelas.Talvez seja um pensamento antigo,mas nao e ultrapassado e para mim funciona muito bem.

    • É isso que importa Ricardo, viver bem com as escolhas que fez pra sua vida financeira 😀 Parabéns 🙂

    • malanar11

      Nem todos os sites emitem boletos, além de ser útil em viagens. De resto, só compro pelo cartão o que posso pagar a vista, ganho milhas.

      • Mulher Rica

        Pra quem tem uma boa relação com o cartão de crédito, ele pode ser um bom aliado financeiro 😀