Estou escrevendo este texto em um dos muitos feriados que este ano teve, e já pensando que o próximo também terá vários.

Quem me conhece sabe que estou constantemente para lá e para cá, em meio a uma série de tarefas, mas isso não significa que também não considere importante momentos de pausa, independente de serem em um feriado ou não.

Não é saudável estarmos o tempo todo em constante correria. Já falei algumas vezes, inclusive, sobre a diferença entre ser produtivo e estar sempre ocupado. O tempo é uma das maiores preciosidades que temos, por isso é fundamental que o usemos bem, inclusive, se for o caso, para fazer nada. Já pensou nisso?

Mas por que é tão importante nos darmos uma pausa de vez em quando? Um dos pontos que considero mais importantes é porque apenas parando, sem fazer tudo no automático, temos condições de avaliar se estamos no caminho certo. Isso vale para tudo na vida.

Quantas vezes não somos empurrados, quase que por uma espécie de tsunami, e simplesmente fazemos as coisas, nos relacionamos, consumimos e pagamos contas sem sequer pensar se uma destas tarefas poderia ser feita de forma diferente? É por isso que dar uma pausa pode ser extremamente relevante.

Em geral, as pessoas pausam quando já chegaram ao seu limite. Em alguns casos até ultrapassaram o limite para continuar tendo saúde. É comum isso acontecer com quem trabalha exageradamente, não dorme direito, não cuida da alimentação, nem nada do tipo.

Já conheci muitas histórias de executivos que saíram totalmente do eixo porque simplesmente não souberam reconhecer o momento de dar uma pausa necessária em tudo que faziam. Complicado não?

E às vezes também acabamos dizendo “sim” para uma série de coisas simplesmente porque não solicitamos um momento para responder com consciência. Pense um pouco sobre quantas vezes você disse “sim” quando na verdade deveria (e queria) dizer “não”.

Isso vale desde atender ao pedido de um conhecido para passar dias na sua casa até aceitar um seguro de vida proposto pelo gerente do banco. Pense a respeito: se tivesse pausado por apenas alguns minutos, poderia ter respondido de forma diferente, não é verdade? E assim vamos levando…

Baixe grátis: Guia completo sobre investimentos

Criatividade na pausa

Outro ponto importante é o uso da pausa para conseguir produzir melhor em seguida. Você já deve ter ouvido falar daquela ideia do Ócio Criativo, proposta pelo professor e sociólogo italiano Domenico de Masi no meio da década de 90, certo?

Apenas para resumir, ele procurou explicar como a alegria e a satisfação pessoal no dia a dia (conquistados através de uma pausa saudável nas obrigações) podem aumentar a criatividade e até ampliar o desempenho no trabalho.

Disse ele: “Existe um ócio alienante, que nos faz sentir vazios e inúteis. Mas existe também um outro ócio, que nos faz sentir livres e que é necessário à produção de ideias, assim como as ideias são necessárias ao desenvolvimento da sociedade”.

Veja bem, neste caso, não estamos falando de ócio como preguiça pura e simples, mas de usar o tempo sem obrigação para aumentar o potencial criativo, que é ótimo também.

Seja sincero: não há dias em que você pensa o tempo todo na resolução de um problema e, de repente, no meio do banho ou de uma cochilada no sofá, a solução aparece quase que milagrosamente na sua mente? Sim, acontece. Muito, não é mesmo?

eBook gratuito recomendado: Ter uma Vida Rica Só Depende de Você

Se não há remédio

Existe outro ponto que considero bastante interessante: muitas vezes a gente tende a achar que é preciso agir de qualquer forma em determinadas situações, mas em muitos casos, tudo que precisamos fazer é deixar rolar.

Sabe aquela frase que as avós adoram dizer: “Se não tem remédio, remediado está?”, pois bem, ela faz sentido. Há momentos em que simplesmente a nossa ação não significa nada. Aprendi com minha mãe que se algo não tem solução, então não é problema. Está resolvido.

Muitas vezes, a única coisa que faz algum sentido é aguardar a passagem do tempo, aprendendo assim a pausar e esperar. E está é uma grande lição relacionada ao controle da ansiedade. Sei que não é fácil, mas é preciso considerar que a resposta que procuramos em algumas ocasiões pode ser simplesmente aguardar!

Veja bem, separei algumas ocasiões relacionadas à necessidade de se ter uma pausa caso você ainda ache necessário usar todos os minutos do seu dia realizando alguma atividade. É necessário pausar para:

  • Avaliar se estamos no caminho certo;
  • Dar as respostas mais coerentes com aquilo que queremos e pensamos;
  • Dar tempo ao corpo para se recuperar (e isso vale até mesmo para quem treina);
  • Oferecer um descanso à nossa mente (e isso até para quem vai prestar vestibular, concurso, ou qualquer outra coisa); e etc.

Ferramenta recomendada: Super planilha para seu controle financeiro

Conclusão

Finalmente, vamos considerar que uma pausa pode ser a receita necessária para que possamos recomeçar e voltar à ativa com novos planos e respostas.

Como já disse, vale para tudo. Se hoje você está meio perdido e simplesmente caminhando junto à manada, seja no campo pessoal, profissional, financeiro, e etc. apenas pare.

Uma pausa pode ajudar a restabelecer o ritmo para que as coisas voltem a se encaixar e as ideias voltem a aparecer com mais força e criatividade. Vamos juntos?

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários

  • Conrado,

    Muito bom o seu post.
    Muitas vezes nos sentimos constrangidos em dizer “não”, mas isso é algo que com o tempo precisamos aprender – ou os resultados futuros não serão os que esperamos na vida, como os exemplos que você citou.

    Abraços,