Nossa Bolsa de Valores, a BM&F Bovespa – assim denominada devido à união da Bolsa de Mercadorias e Futuros, que negociava commodities agrícolas e operações com derivativos financeiros e a Bolsa de Valores de São Paulo, que negociava ações – é o ambiente onde são negociadas as ações das empresas de capital aberto e outros ativos.

Pessoas que querem se desfazer de suas ações recorrem à Bolsa para encontrar quem queira comprá-las. Vale ressaltar que atualmente isso ocorre através de plataformas virtuais cedidas pelas corretoras – os home brokers – e não mais no ambiente físico onde antigamente ocorria o pregão presencial.

Nosso mercado de capitais opera exatamente como qualquer outro do mundo. Funciona como um shopping center ou como a feira perto da sua casa. Existem pessoas que vão para vender e pessoas que vão para comprar. A única diferença é que no lugar de camisas, sapatos, televisores e frutas, as pessoas compram e vendem produtos financeiros.

Assim como na feira, os produtos que possuem muita demanda e pouca oferta tem seus preços elevados. Se existe muita gente comprando uma ação e pouca gente vendendo, o preço sobe. Se existe pouca gente comprando e muita gente vendendo, o preço cai, simples assim. Ou seja, é a eterna lei da oferta e da procura regendo o mercado.

Leitura recomendada: Crise na bolsa de valores ou um mar de oportunidades?

O mercado de capitais é fundamental para a economia de qualquer país, pois é através dele que milhares de empregos são gerados, recursos são investidos na economia, as empresas melhoram suas práticas de gestão e transparência, proporcionando benefícios tanto para seus acionistas como para a sociedade de uma maneira geral.

Quando você investe seu dinheiro em alguma empresa, está se tornando sócio dela, com a participação equivalente ao montante de ações que adquiriu. Se você acredita que seu país vai crescer e que a economia e as empresas irão prosperar, a Bolsa é um ótimo local para aplicar seus recursos. Afinal de contas, nada melhor do que fazer parte da economia se quiser usufruir dos benefícios do seu crescimento.

Por tudo isso que já falamos e por outra infinidade de motivos que não caberiam neste artigo, afirmo com a convicção de um aficionado por economia, investimentos e mercado de capitais: “Precisamos conhecer melhor a Bolsa de Valores”.

Somente assim atribuiremos a ela sua real importância e, principalmente, teremos o conhecimento necessário para investir evitando os erros que a maioria dos investidores despreparados comete.

Leitura recomendada: Bolsa de Valores: Calls? Puts? Entenda o básico sobre operações com opções

Antes de querer sair investindo seus recursos, procure conhecer um pouco melhor o funcionamento da Bolsa. Tenho certeza que isso irá ampliar seus horizontes para novas possibilidades e te ajudar a ser um investidor bem-sucedido.

Foto: Gil C / Shutterstock.com

Samuel Magalhães
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários