Juros e TaxasAntonio comenta: “Navarro, você e muitos outros autores enfatizam muito a questão da taxa de administração e a necessidade de fugir delas. Até que ponto podemos considerar uma taxa alta ou não? Como avaliar se vale a pena investir ainda que a taxa seja maior que 1% ou 2%? Ah, parabéns pelo blog e pela vontade em compartilhar seu conhecimento, isso não é comum. Sucesso e obrigado”.

Antonio, tudo bem? Obrigado pelo incentivo e pela confiança. Sua questão é muito interessante e pertinente. Para esta avaliação, nada melhor que uma calculadora e alguns conhecimentos simples de matemática. Basicamente o que se pretende é conseguir ganhos líquidos interessantes ainda que pagando algo para a instituição financeira, certo? Sim, isso é possível.

O caso típico que sempre utilizo para ilustrar esta relação é o dos fundos de renda variável (ações). Nem todo mundo possui conhecimento, possibilidade ou interesse em ingressar diretamente no mercado de capitais, embora o sistema home broker* tenha facilitado muito tal operação. Neste caso, existem fundos interessantes e que, mesmo cobrando taxas um pouco mais altas, garantem bom retorno no longo prazo. Vamos observar esta afirmação matematicamente?

Tomemos o fundo BB Ações Dividendos, que possui taxa de administração de 2% ao ano. Sua rentabilidade anual acumulada até agora é de aproximadamente 10,5%. Portanto ele já rendeu 8,5% em 2007. Não é um ótimo rendimento para apenas quatro meses? Se estamos falando de renda variável e a volatilidade é maior, o cenário pode se alterar. Mas é consenso que no longo prazo esta pode ser uma aplicação e tanto. Um fundo como este rendeu, nos últimos 3 anos, mais de 150%. Que tal?

Fundos com rentabilidade baixa ficam muito comprometidos quando a taxa de administração é muito alta. Não é óbvio? Bom, ficar de olho na taxa de administração é sim muito importante. Mas ficar de olho na conta matemática inerente ao processo de tomada de decisão é ainda mais importante. O que interessa não é dinheiro no bolso? Se você não pode, ou não quer, aprender a investir diretamente na Bolsa, produtos como o que citei acima são bastante interessantes, especialmente no longo prazo.

É importante salientar que não estou indicando este ou aquele produto. Mais uma vez caimos na questão matemática e a decisão é só sua. Comemore comigo: viva a taxa de administração. Alguns economistas vão me criticar, mas isso faz parte. Ah, eles criticam mas também aplicam nestes produtos. Isso, já não consigo explicar. Abraços.

*Home broker: Segundo definição da própria Bovespa, o home broker é o instrumento que permite a negociação de ações via Internet. Ele permite que você envie ordens de compra e venda de ações através do site de sua corretora na internet.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários