Chaves do CarroCadu comenta: “Este ano eu pretendo comprar meu primeiro carro. Tenho cerca de 3 mil reais poupados. Li seu artigo sobre os imóveis e adorei! Bem que você poderia escrever um artigo semelhante, porém explicando para a compra de um carro. Qual é a melhor forma para quem não tem uma boa grana para dar de entrada? Vale mais a pena comprar um carro usado ou zero? No meu caso, eu consigo guardar todo mês cerca de 500 reais. Levando-se em consideração que a despesa não seria somente o parcelamento do carro, mas, também, combustível e outros gastos (que inclusive eu gostaria que você citasse, pois estou por fora disso), eu creio que poderia usar cerca de 300 reais para o pagamento das parcelas”.

Oi Cadu, tudo certo? Obrigado pela visita e por importar-se em comentar e enviar sua mensagem. Fico feliz que o blog esteja colaborando para que tome decisões cada vez mais acertadas. O raciocínio para sua dúvida deve ser muito semelhante ao demonstrado no artigo sobre a compra ou aluguel de um imóvel. De cara posso te dizer que pra financiar qualquer coisa em sua vida, antes você tem que ter um rendimento, de qualquer origem, que lhe ofereça mais que a taxa de juro do financiamento. Fora isso, você está indo para o lado errado da inteligência financeira. Vamos ver alguns números.

Antes de fazermos qualquer simulação, precisamos definir um valor para o carro que deseja comprar. Vamos imaginar que queira um carro de R$ 20.000,00 e que vá usar a entrada de R$ 3000,00 mencionada em sua mensagem. Neste caso, estamos falando de financiar R$ 17000,00. Vou usar uma taxa conservadora de 1,5% ao mês e período de 60 meses para o pagamento. Acredite, você não vai encontrar esta taxa de 1,5% ao mês por ai. Enfim, vamos manter as coisas assim. Para o caso acima, as parcelas então serão de R$ 431,69.

Alguns leitores e colegas me alertaram para incluir no cálculo o efeito da amortização, que é como os bancos e financiadoras normalmente trabalham. Usando a tabela Price, o valor final do financiamento é de R$ 23.555,37 e pode ser demonstrado através desta planilha. Na mesma planilha é possível simular um financiamento usando o método SAC de amortização

Agora vamos pensar que você decidiu pegar estes R$ 431,69 das parcelas e, ao invés de entrar no financiamento, os aplicou na caderneta de poupança, rendendo 0,55% ao mês. Em 36 meses você terá R$ 17134,27, podendo então comprar o carro à vista. “Mas Navarro, esperar 3 anos”? Calma lá, estamos falando de inteligência financeira, não de pressa ou consumismo, certo? Ah bom! Aqui você vai esperar sim 3 anos, mas vai deixar de pagar R$ 6555,37 a mais pelo carro. Fica então a pergunta: vale a pena esperar? A minha resposta você já sabe, mas como o dinheiro é seu, ainda deixo a questão no ar.

Eu nunca recomendo o financiamento a ninguém, a menos que o rendimento com o uso do bem financiado ultrapasse o valor dos juros cobrados na negociação. Ah, mas isso eu já disse lá em cima. Vou reformular o raciocínio. Realizar um sonho hoje pode transformar seus próximos 60 meses num pesadelo. Talvez o “pesadelo” de esperar mais 3 anos para comprar o carro valha a pena para realizar seu sonho! Uau, filosofei forte agora hein? Nada mal para um ser tão racional como eu. Sem enrolar, quero pedir que deixe de lado o consumismo e passe a comprar as coisas com a cabeça e a calculadora. Para custos de manutenção do veículo e demais despesas decorrentes de sua compra, consulte o artigo Carro não é Investimento!

Se você quer fazer seus próprios cálculos de financiamento, valor das parcelas, valor final do carro etc, preparei uma pequena planilha com o que você precisa. Faça o download aqui e divirta-se! Lembre-se de que o tempo pode ser seu aliado nas finanças pessoais e que seu dinheiro deve ser sempre mais importante para você que para os bancos e financeiras disponíveis por ai. Como sempre, conte comigo

PS: Depois de publicado este artigo, ainda receberei muitas críticas sobre a opção por adiar a compra do carro pensando no dinheiro poupado. Já adianto que só aceito como argumentos cálculos e comprovações matemáticas de que o inverso pode ser vantajoso. Pela terceira vez deixo escrito que só se o ganho com o carro exceder o juro é que a coisa passa a ser interessante, portanto seja mais criativo e invente algo diferente!

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários