“Como conseguir investimento para a sua startup?” é a pergunta que vale 1 milhão de reais e eu não tenho uma resposta definitiva para ela. Aliás, essa deve ser a pergunta mais frequente feita ao Google sobre investimento anjo.

Acredito que nem mesmo os investidores mais experientes ou quem já recebeu investimento consegue ser assertivo nessa resposta. Sabe por que? Porque cada caso é um caso, cada projeto é diferente e cada investidor tem a sua tese e pensa da sua maneira.

Claro que existem vários artigos (meus, inclusive) sobre este assunto, mas nenhum consegue responder isso objetivamente, ou seja, não existe “receita de bolo”. Mas existem atitudes que mudam o rumo, que podem ajudar a identificar suas próprias respostas.

Aliás, assim como eu fiz neste artigo, vários treinamentos e eventos sobre investimento anjo colocam no folder a palavra “como” na frente para chamar a sua atenção, mas ao sair desses eventos você percebe que ele foi útil no sentido de insight, de networking, mas dificilmente você conseguirá uma fórmula mágica que sirva para todos os casos ou para você.

Pois bem, o meu objetivo também não é dizer como conseguir investimento, mas mostrar um caminho que sirva de open mind e, principalmente, tentar explicar o que pode travar a sua busca pelo investimento.

1. Esqueça o “como”

A primeira coisa que você deve fazer é esquecer momentaneamente o tal do “como”. Por que?  Simples, para quem não sabe, a palavra como é um bloqueador de imaginação; ele te deixa sempre na espera, na busca, na expectativa, te engessa e te deixa travado em um looping mental pensando insistentemente nisso.

Todos nós queremos uma fórmula mágica para resolver um problema nos negócios ou conseguir subir um degrau na vida, por isso estamos sempre na busca do “como fazer”.  Eu chamo isso de “Tirania do como”.

2. Foque no “por que?”

A segunda coisa importante é focar no “por que?” antes de qualquer coisa; descubra o  propósito do seu projeto e a sua causa. Quando o seu porque é forte suficiente, os obstáculos são facilmente ultrapassados.

Por exemplo, a Startup Hand Talk (www.handtalk.com.br) sempre teve um porque muito bem definido, que era resolver o problema da comunicação entre surdos e ouvintes; mais do que isso, uma grande causa social e uma fixação em colaborar e ajudar as pessoas deficientes auditivas.

3. Pense também no “o que”

A terceira coisa que você deve fazer é pensar no “o que”. Quando você pensa e planeja o que vai fazer para alcançar o seu “por que?”, as oportunidades se abrem. Na Hand Talk, eles desenvolveram um App tradutor automático para que os ouvintes pudessem se comunicar em tempo real com os surdos.

Já seria algo muito legal, mas eles ainda foram além e desenvolveram uma Plataforma e um plugin tradutor automático para sites onde a comunidade surda tenha interesse em visitar.

4. Conecte os itens anteriores

Na sequência, com o “por que?” e “o que” definidos, o “como” passou a ser, neste exemplo da Hand Talk, uma questão de tecnologia. E o Investimento? Sim, claro, eles estavam na hora certa e no lugar certo, mas não pareciam estar buscando investimento (apesar de precisarem!); eles se transformaram no negócio mais cobiçado do pedaço.

Ou seja, não precisaram pensar insistentemente em “como” buscar investimento, apenas e estrategicamente definiram bem os passos anteriores. O processo aconteceu naturalmente dos investidores para a startup, e não o contrário.

Não é que o “como” tenha perdido importância, mas você vai perceber que ao resolver as questões mais importantes no seu negócio, vai receber espontaneamente muitos feedbacks; várias possibilidades e oportunidades vão aparecer e, claro, muitas dicas de como fazer (inclusive algumas absurdas, eu sei).

Basta filtrar e escolher as melhores ideias para o “como” e os melhores caminhos vão surgir naturalmente, inclusive de investidores. Tá vendo? O “como” é importante, sim, mas a resposta para um investimento pode chegar sem essa busca frenética.

Você pode pensar: “Ok, eu faço tudo isso, tenho sim o ‘por que’ e ‘o que’ bem definidos, já testei muitas alternativas espontâneas para o ‘como’, meu negócio é incrível, estou escalando e entregando os resultados, porém continuo não conseguindo o investimento necessário”.

Nesse caso, analise a alternativa de seguir Bootstrapping mesmo (esperar crescer e aparecer). Mas se realmente precisa do investimento no curto/médio prazo, a minha outra dica é: seja persistente (e não insistente)!

Quase todas as startups nas quais investi vieram de empreendedores persistentes, que não desistem na falta de resposta ou no primeiro “Não”. Após várias tentativas, o investidor pode perceber que apostar em você é um bom negócio. Simples assim!

Verifique também se está observando alguns desses pontos abaixo, quem sabe pode identificar e corrigir alguns erros na busca pelo investimento:

  • A oportunidade se abre para quem se abre para ela. Apareça nos eventos certos;
  • Mantenha uma interação frequente com investidores não somente para pedir dinheiro. Torne-se um seguidor, antes de qualquer coisa;
  • A melhor hora de buscar um investidor é quando você não precisa imediatamente ou desesperadamente do dinheiro dele. Isso assusta! Neste caso, procure um outro tipo de financiamento ou banco;
  • Um investidor-anjo não investe em um ponto, mas sim em vários pontos, investe em uma barra de progresso do seu negócio. Mantenha-o atualizado;
  • Demonstre seu track record em negócios anteriores ou que seu negócio atual está maduro o suficiente para provar que vai dar certo;
  • O investidor não entrará somente com o dinheiro, ele certamente vai participar das decisões e rumos do negócio; ofereça um assento no Conselho;
  • Procure por outros aportes além do dinheiro, como experiência, conexões e mentoria;
  • Seja humilde e muito cuidado com a arrogância do sabe tudo;
  • investidores bem-sucedidos investem em pessoas e não somente em negócios.

Conclusão

O problema que percebo nos mais de 20 projetos semanais que recebo pedindo investimento é exatamente esse: a ideia fixa e o ”looping do como” para conseguir investimento.

Os fundadores estão mais preocupados em como buscar investimento e menos em desenvolver o seu próprio negócio. Se o seu negócio é bom o suficiente, torne-o atrativo no sentido do “por que” e “o que” a ponto de chamar atenção e ser irresistível para qualquer investidor.

Resumindo: como conseguir dinheiro para a sua startup? Continuo sem essa resposta objetiva, mas ela certamente passa por mudar suas atitudes, descobrir o propósito e buscar resultados reais no sentido de construir um negócio atrativo, de valor e rentável (com clientes pagando).

Foto “Startup funding”, Shutterstock.

João Kepler
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários