31 empresas brasileiras entre as maiores do mundoFaz algum tempo que empresas brasileiras marcam presença em lista das maiores companhias do mundo. A última análise, feita pela Forbes, foi divulgada na última quarta-feira (17) e se baseia numa média ponderada de alguns indicadores financeiros.

Todos os valores foram consolidados em dólares americanos, com base nos relatórios financeiros divulgados e na base de dados da Bloomberg. Inicialmente, a Forbes criou quatro listas separadas para elaborar o ranking: “sales 2000”, “profits 2000”, “assets 2000” e “market 2000”.

Em outras palavras, a pesquisa foi conduzida a partir dos maiores desempenhos de vendas, lucros, ativos e valor de mercado. Para uma empresa aparecer entre as maiores era preciso alguns valores mínimos:

  • $3,89 bilhões em vendas;
  • $232,2 milhões em lucros;
  • $7,85 bilhões em ativos;
  • $4,25 bilhões de valor de mercado.

Após a ponderação da média de cada critério, a Forbes listou as maiores empresas do mundo. Veja abaixo as empresas brasileiras que apareceram entre as 2.000 identificadas pela revista.

1. Petrobras

Posição geral no ranking: 20º

Vendas: US$ 144,1 bilhões

Lucro: US$ 11 bilhões

Ativos: US$ 331,6 bilhões

Valor de mercado: US$ 120,7 bilhões

 

2. Itaú Unibanco

Posição geral no ranking: 42º

Vendas: US$ 70,5 bilhões

Lucro: US$ 6,2 bilhões

Ativos: US$ 453,6 bilhões

Valor de mercado: US$ 82 bilhões

 

3. Bradesco

Posição geral no ranking: 45º

Vendas: US$ 78,3 bilhões

Lucro: US$ 5,6 bilhões

Ativos: US$ 417,5 bilhões

Valor de mercado: US$ 71,6 bilhões

 

4. Banco do Brasil

Posição geral no ranking: 67º

Vendas: US$ 69 bilhões

Lucro: US$ 6 bilhões

Ativos: US$ 552,2 bilhões

Valor de mercado: US$ 37,9 bilhões

 

5. Vale

Posição geral no ranking: 87º

Vendas: US$ 45,7 bilhões

Lucro: US$ 4,8 bilhões

Ativos: US$ 130,4 bilhões

Valor de mercado: US$ 92,7 bilhões

 

6. Itaúsa

Posição geral no ranking: 173º

Vendas: US$ 27,8 bilhões

Lucro: US$ 2,2 bilhões

Ativos: US$ 172,4 bilhões

Valor de mercado: US$ 25,4 bilhões

 

7. Cemig

Posição geral no ranking: 597º

Vendas: US$ 9,5 bilhões

Lucro: US$ 2,2 bilhões

Ativos: US$ 19,4 bilhões

Valor de mercado: US$ 10,7 bilhões

 

8. Pão de Açúcar

Posição geral no ranking:614 º

Vendas: US$ 24,9 bilhões

Lucro: US$ 0,5 bilhões

Ativos: US$ 16,8 bilhões

Valor de mercado: US$ 14,1 bilhões

 

9. JBS

Posição geral no ranking: 656º

Vendas: US$ 38,9 bilhões

Lucro: US$ 0,4 bilhões

Ativos: US$ 24,3 bilhões

Valor de mercado: US$ 10,4 bilhões

 

10. CSN

Posição geral no ranking: 671º

Vendas: US$ 8,9 bilhões

Lucro: US$ 2 bilhões

Ativos: US$ 24,2 bilhões

Valor de mercado: US$ 7,2 bilhões

 

11. BRF

Posição geral no ranking: 734º

Vendas: US$ 13,9 bilhões

Lucro: US$ 0,4 bilhões

Ativos: US$ 14,7 bilhões

Valor de mercado: US$ 19,2 bilhões

 

12. Oi

Posição geral no ranking: 819º

Vendas: US$ 12,3 bilhões

Lucro: US$ 0,4 bilhões

Ativos: US$ 38 bilhões

Valor de mercado: US$ 6,1 bilhões

 

13. CPFL

Posição geral no ranking: 836º

Vendas: US$ 7,7 bilhões

Lucro: US$ 0,6 bilhões

Ativos: US$ 15,2 bilhões

Valor de mercado: US$ 10,4 bilhões

 

14. Sabesp

Posição geral no ranking: 910º

Vendas: US$ 5,5 bilhões

Lucro: US$ 1 bilhão

Ativos: US$ 12,8 bilhões

Valor de mercado: US$ 10,5 bilhões

 

15. Eletrobrás

Posição geral no ranking: 935º

Vendas: US$ 17,5 bilhões

Prejuízo: US$ 3,5 bilhões

Ativos: US$ 84,1 bilhões

Valor de mercado: US$ 5 bilhões

 

16. Cielo

Posição geral no ranking: 1075º

Vendas: US$ 2,6 bilhões

Lucro: US$ 1,1 bilhões

Ativos: US$ 4,7 bilhões

Valor de mercado: US$ 18,9 bilhões

 

17. Braskem

Posição geral no ranking: 1156º

Vendas: US$ 17,3 bilhões

Prejuízo: US$ 0,4 bilhões

Ativos: US$ 19,6 bilhões

Valor de mercado: US$ 5 bilhões

 

18. BM&F Bovespa

Posição geral no ranking: 1158º

Vendas: US$ 1 bilhão

Lucro: US$ 0,5 bilhões

Ativos: US$ 11,7 bilhões

Valor de mercado: US$ 13,4 bilhões

 

19. Gerdau

Posição geral no ranking: 1173º

Vendas: US$ 18,5 bilhões

Lucro: US$ 0,2 bilhões

Ativos: US$ 25 bilhões

Valor de mercado: US$ 3,8 bilhões

 

20. Cosan

Posição geral no ranking: 1211º

Vendas: US$ 14,1 bilhões

Lucro: US$ 0,3 bilhões

Ativos: US$ 12,2 bilhões

Valor de mercado: US$ 5,5 bilhões

 

21. CCR

Posição geral no ranking: 1234º

Vendas: US$ 3 bilhões

Lucro: US$ 0,6 bilhões

Ativos: US$ 7 bilhões

Valor de mercado: US$ 17,3 bilhões

 

22. Embraer

Posição geral no ranking: 1517º

Vendas: US$ 6,2 bilhões

Lucro: US$ 0,3 bilhões

Ativos: US$ 9,5 bilhões

Valor de mercado: US$ 6,3 bilhões

 

23. BR Malls

Posição geral no ranking: 1520º

Vendas: US$ 0,6 bilhões

Lucro: US$ 0,9 bilhões

Ativos: US$ 8,7 bilhões

Valor de mercado: US$ 5,8 bilhões

 

24. Natura

Posição geral no ranking: 1542º

Vendas: US$ 3,1 bilhões

Lucro: US$ 0,4 bilhões

Ativos: US$ 2,5 bilhões

Valor de mercado: US$ 10,5 bilhões

 

25. Banrisul

Posição geral no ranking: 1574º

Vendas: US$ 3,6 bilhões

Lucro: US$ 0,4 bilhões

Ativos: US$ 22,3 bilhões

Valor de mercado: US$ 3,6 bilhões

 

26. Marfrig

Posição geral no ranking: 1586º

Vendas: US$ 12,3 bilhões

Prejuízo: US$ 0,1 bilhões

Ativos: US$ 12 bilhões

Valor de mercado: US$ 2,5 bilhões

 

27. Usiminas

Posição geral no ranking: 1627º

Vendas: US$ 6,2 bilhões

Prejuízo: US$ 0,3 bilhões

Ativos: US$ 15,3 bilhões

Valor de mercado: US$ 5,3 bilhões

 

28. Lojas Americanas

Posição geral no ranking: 1811º

Vendas: US$ 5,5 bilhões

Lucro: US$ 0,2 bilhões

Ativos: US$ 5,3 bilhões

Valor de mercado: US$ 8,9 bilhões

 

29. Porto Seguro

Posição geral no ranking: 1908º

Vendas: US$ 6,1 bilhões

Lucro: US$ 0,3 bilhões

Ativos: US$ 8,8 bilhões

Valor de mercado: US$ 4,4 bilhões

 

30. Weg

Posição geral no ranking: 1914º

Vendas: US$ 3 bilhões

Lucro: US$ 0,3 bilhões

Ativos: US$ 4,3 bilhões

Valor de mercado: US$ 8,1 bilhões

 

31. Klabin

Posição geral no ranking: 1989º

Vendas: US$ 2 bilhões

Lucro: US$ 0,4 bilhões

Ativos: US$ 6,9 bilhões

Valor de mercado: US$ 6,5 bilhões

 

Por que esta notícia é importante?

Alguns chamam isso de globalização. Para nós, é importante frisar a participação cada vez maior de empresas brasileiras entre as maiores do mundo, o que reforça a importância do país, de nossa economia e nossos gestores.

Empresas bem-sucedidas (inclusive com muito apoio federal) parecem ser uma realidade. Que possamos, pois, aprender também a melhorar nosso jeito de governar e liderar as reformas tão importantes também na esfera pública.

Fonte: Forbes | EXAME. Foto de freedigitalphotos.net.

Willian Binder
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários