Em qualquer tipo de investimento é esperado receber um montante pela valorização daquele ativo.

Ao comprar, por exemplo, Tesouro Direto, você “empresta” dinheiro ao governo e receberá por isso um juro, ou seja, será recompensado mensalmente pelo valor investido.

No entanto, é possível montar táticas de investimento voltadas para a geração de renda extra, além de contar com a valorização dos ativos utilizados para isso.

Dois geradores de renda provenientes do mercado financeiro são os dividendos (provenientes das ações das empresas) e rendimentos (provenientes dos fundos imobiliários).

O “combo”: dividendos + rendimentos

1. Dividendos

Muitos investidores tornaram-se bilionários investindo em grandes empresas pagadoras de dividendos. Ao comprar parte de uma empresa através de uma ação, você passa a ter direito de receber um “pagamento” como sócio do negócio.

Esse pagamento é chamado de dividendos. Eles podem ocorrer com periodicidades distintas, dependendo da empresa.

E, como os dividendos são baseados na receita das empresas, essa forma de investimento acaba se tornando extremamente rentável e segura.

O que você precisa fazer é manter a posse destas ações (e comprar mais, sempre que possível), e deixar que elas gerem bons resultados e com isso, paguem dividendos para você periodicamente.

Você não precisa se preocupar o quanto a Bolsa de Valores está chacoalhando. Esqueça as loucuras da marcação diária a mercado e concentre suas atenções na previsibilidade dos dividendos.

Dividendos são a libertação do investidor. Te livram de ser refém do preço dos pregões.

Leitura recomendada: Entenda a Tática Combinada da Rentabilidade Adicional

2. Rendimentos

Bem, existe uma forma de aplicação, conhecida por poucas pessoas, que passou a ter um papel relevante nas carteiras dos investidores mais atentos: os fundos de investimento imobiliários (FII).

O investidor de FII é capaz de adquirir participação fracionada em diversos empreendimentos imobiliários ao mesmo tempo. Não há a necessidade de ter o valor cheio de um imóvel em mãos.

Com R$ 1.000, R$ 2.000 ou R$ 5.000 você já pode usufruir dos benefícios e ser dono de um imóvel. E com isso, receber um aluguel de cada cota que tiver. Pingando na sua conta e liquidando suas despesas.

Com rentabilidades superiores aos aluguéis tradicionais e com investimentos menores e liquidez maior, os FII são ótimas opções de investimento.

3. Como escolher e comprar o melhor de cada?

As perguntas que ficam são:

  • Como escolher as melhores ações de empresas que sejam boas pagadoras de dividendos?
  • Como escolher os melhores FII que sejam bons pagadores de rendimentos?

Temos uma solução para isso. Clique aqui para entendê-la e checar se ela se encaixa nas suas estratégias de investimento. Até a próxima!

Nota: Esta coluna é mantida pela Empiricus, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Empiricus Research
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.