A sua startup provavelmente irá morrer. Estou falando com base em estatísticas e na minha experiência pessoal.

Eu já tive os meus fracassos. Assisti à destruição de várias das minhas startups. Já vi diversos empreendedores cuidadosos e dedicados falirem. Isso acontece. As taxas de falência das startups são reais (e altas!).

Mas, apesar de todo drama e sofrimento por conta da falência das startups, existem boas notícias.

Os empreendedores bem sucedidos levantam-se após o fracasso, arregaçam as mangas e criam outra empresa. Uma empresa maior. Uma empresa que não irá falhar.

Portanto, a morte das startups parece uma coisa ruim. Mas a ressurreição das startups é uma coisa boa.

Se a sua startup está chegando ao fim, você deve ser o responsável por matá-la de vez. Quando é você quem decide pela morte da sua startup, você terá mais chances de construir algo relevante da próxima vez.

Palestras gratuitas recomendadas: Conrado Navarro e convidados falam sobre finanças pessoais e empreendedorismo

Machuca mais quando é você quem mata a sua startup

Você sente a dor? Ótimo. Você deveria mesmo sentir.

Eu não estou tentando ser masoquista. Quero apenas que você sinta a ardência, o esmagamento, o golpe que te deixa desorientado, que é a perda da startup que você tanto amava.

Por quê? Porque essa é a sensação que vai inspirá-lo a se reerguer e tentar tudo de novo.

Você aprende mais quando é você quem mata a sua startup

Todo fracasso é uma experiência de aprendizado. Eu não gosto de pensar no fracasso das startups como “fracassos”, porque essa palavra soa muito definitiva e negativa.

Um “fracasso” é uma espécie de renascimento. Você aprende tanto! Se você é quem se dá conta de que é a hora de fechar o seu negócio, então será você quem vai aprender as lições mais valiosas.

Você sabe quando a sua startup deve acabar

Pode ser extremamente difícil para um empreendedor saber quando uma startup deve acabar. Você está cego pelo fato de ser muito apegado a ela.

No entanto, se você fizer um esforço concentrado de distanciar-se um pouco, você começará a perceber muito claramente os sinais do fim da sua startup.

Essa é a sua chance de tomar uma decisão: é esta a hora de apagar as luzes? Você é a melhor pessoa para saber, e você pode decidir.

Leitura recomendada: 5 maneiras de contratar os melhores talentos para sua startup

Você mantém o controle quando é você quem mata a sua startup

Você nunca vai querer entregar o controle da sua startup, mesmo quando ela está à beira do colapso. Quando é você quem encerra tudo, você é também quem tem o poder e o controle para começar uma outra empresa.

Sempre mantenha o controle. Você não apenas se sente mais forte quando está no controle. Você é mais forte, mesmo na amargura do fim.

Você pode salvar mais coisas quando é você quem mata a sua startup.

Quando uma startup morre, não está tudo perdido.Você ainda tem as lições que aprendeu, mas você provavelmente tem ainda outras coisas.

Você tem os relacionamentos, os planos de negócio, recursos, softwares, arquivos, designs, modelos, orçamentos e planilhas.

Você não precisa jogar tudo fora. Você pode salvar algumas coisas que vão te ajudar da próxima vez.

Você pode preservar os relacionamentos quando você mata a sua startup

Na minha opinião, uma das coisas mais desanimadoras sobre uma startup que está morrendo é o desgaste das relações. Nem todo mundo tem a força emocional para atravessar o colapso de uma startup.

É difícil. Lá se vai o seu trabalho, sua renda, suas esperanças, seu capital e os seus sonhos.

Algumas pessoas entram nas startups pelos motivos errados. Essas são as pessoas que provavelmente vão deixar a empresa quando ela estiver em declínio.

Se você for aquele que estiver guiando a sua startup até o cemitério, então você terá a oportunidade, também, de cuidar das pessoas que estão sendo afetadas.

Você pode mostrar a elas porque é preciso acabar, e o que vai acontecer em seguida: uma nova visão, um novo negócio, uma nova esperança.

Vídeo recomendado: Abrir o Próprio Negócio (empreender) é pra você? Como tomar essa decisão?

Você pode refinar a sua estratégia quando você mata a sua startup

Outra coisa que permanece com você após o fim da startup é a estratégia. Talvez tenha sido a falta de estratégia que levou a sua startup ao fracasso.

Talvez tenha sido uma estratégia muito precipitada. Talvez apenas tenha sido a estratégia errada.

Seja qual for o seu caso, você pode pegar os vestígios dessa estratégia e moldá-los em algo que será bem sucedido da próxima vez.

Você sente a posse e a responsabilidade sobre a sua startup quando você a mata

É importante assumir a responsabilidade total pela morte da sua startup.

Existem dois modos pelos quais uma startup pode acabar – por forças externas ou por uma decisão interna.

Quando forças externas esmagam e matam uma startup, temos a tendência de assumir uma mentalidade de vítima. Não foi nossa culpa!

Nós somos vítimas de uma economia fria e cruel. Fomos injustamente derrotados pelo grande capital. Fomos marginalizados por críticos poderosos.

O sentimento de vitimização não é benéfico.  Ele certamente não vai te ajudar a se reerguer e a começar um novo negócio.

Se, por contraste, você assume a responsabilidade de matar a sua startup, então você também será aquele que poderá se recuperar.

Estar no time dos responsáveis te coloca no controle, não apenas do declínio dessa empresa, mas da ascensão da próxima.

Você sente um senso maior de motivação de começar tudo de novo

Talvez o maior benefício de matar a sua própria startup é a ardente motivação que isso te dá a oportunidade de começar tudo de novo.

Você vai se afligir. Tudo bem. Mas, o quanto antes possível, você vai se dedicar ao próximo grande empreendimento.

Você vai utilizar a energia dessa raiva proveniente da sua antiga startup para começar do zero mais uma vez.

Conclusão

Enquanto a sua startup solta o seu último suspiro, você já está pronto para se dedicar ao próximo grande projeto. A morte de uma startup simplesmente abre caminho para a sua próxima startup.

Aprenda com a experiência, enxugue as lágrimas de tristeza, lembre-se da dor que você sentiu e vá construir algo novo.

Você teve de enfrentar a morte de uma startup? Como isso te motivou?

Neil Patel
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários