90%, esse é o número de empresas de startup que fracassam. Isso é um pouco assustador, se você quer saber minha opinião.

Considero-me sortudo em ser um sobrevivente do mundo das startups, mas minha sobrevivência foi sensível nas primeiras vezes. E, sim, minha aventura de startup foi turbulenta, uma série de começos e recomeços, falhas e erros.

Atualmente, possuo alguns negócios multimilionários em minha carteira, mas, ainda assim, sou capaz de errar.

Ainda assim, consigo ver startups num ritmo completamente diferente. Através de investimento anjo, consultoria e pura determinação em saber o máximo que posso, aprendi cedo a ler os sinais de que minha empreitada iria falhar.

Se você também estiver trabalhando para uma startup, seja nas sua criação ou como um investidor, esses são os oitos sinais para você. Eles são os principais indicadores de falha de uma startup.

Sinal 1: Você não conhece seus clientes

Eu sei que parece antiquado, mas eu preciso dizer. Por todos os lados vemos frases como “Conheça seu público-alvo” e “desenvolva suas personas”, mas, na verdade, poucos negócios realmente desenvolvem isso da maneira correta.

É crucial que você entre na cabeça do seu público e realmente desvende o que os incomoda. Quais os problemas que enfrentam? Quais os medos e experiências que encaram? Quais seus objetivos?

Conheça essas pessoas! Ame-os! Seu negócio não existe sem eles. Empreendedores falham porque vivem numa ilusão de um sonho cheio de adrenalina, num ambiente super acelerado das startups. Eles não estão indo as ruas conhecer pessoas reais.

O sonho da startup existe, mas não está fundamentado na realidade diária de seus consumidores. Esses consumidores são pessoas que de uma forma ou de outra, comprarão seu produto.

Conheça seus clientes e você terá menos chances de falhar.

Sinal 2: Você está preso numa armadilha mental

Todos nós seguimos alguns padrões de pensamento. Talvez seja o seu background cultural. Talvez sejam as “melhores práticas” que carregamos de um trabalho anterior. Talvez seja algo que lemos online.

O que quer que seja, nós precisamos ser flexíveis o suficiente para mudar nossa mentalidade sobre as coisas. “O que você quer dizer com isso Neil”? Não é porque eu penso que é a “melhor maneira” de ser resolver algo, que realmente seja a melhor maneira.

Desafie seu pensamento, arrisque-se, tente novas coisas e experimente através de diferentes pontos de vista. Seu objetivo é o sucesso, e não “estar certo”.

Sinal 3: Você é alheio às forças do mercado

O mercado é imprevisível, indomável e, às vezes, francamente irritante. Mas você precisa lidar com isso.

Se você acredita que forças do mercado não lhe afetarão, você está auto sabotando o seu negócio e caminhando para uma grande falha. Veja bem, o “mercado” é impessoal. Ele não se importa com seus sentimentos ou planos. Você precisa se ajustar a ele, porque senão você não terá espaço.

Sinal 4: Você não pivotou rápido o suficiente

Eu sei que “pivotar” é um termo usado em abundância. No entanto, é um conceito muito importante. Se você não estiver pronto para pivotar, você falhará. Simples assim.

Quanto mais rápido você pivotar, mais provável será sua sobrevivência. Pivotar é o que garante a sobrevivência de startups. Não se surpreenda se tiver que pivotar cinco, dez ou quinze vezes durante os primeiros anos de existência da sua empresa.

Sinal 5: Você não executa rápido o suficiente

Execução é o que é, amigos. Você pode sonhar com planos de negócios, mas até que você execute, nada acontecerá.

Sucesso está na execução rápida, mais rápida que o seu concorrente. Os melhores empreendedores não são os chamados “sonhadores” e “visionários”. Nada disso. Os melhores empreendedores são aqueles que trabalham.

Sinal 6: Você está ocupado com as coisas erradas

Estar ocupado não é um sinal de sucesso. Nem mesmo uma marca da produtividade. Estar ocupado é bom apenas quando fazemos as coisas certas. Geralmente empreendedores ficam realmente ocupados, e isso os cega para o fato que estão ocupados com as coisas erradas!

Primeiro, distancie-se do que estava fazendo e pense no porquê você está fazendo. Depois disso, você tem permissão de estar ocupado.

Sinal 7: Você não está focando na receita

Essa é uma falha, das grandes. Receita. Eu entendo. Existem muitas partes no ambiente de uma startup e você precisa monitorar tudo. Mas se você perder a receita de vista, você está liquidado. É um grande sinal de alerta.

Receita é o objetivo. É o fim do jogo. É por isso que está fazendo o que está fazendo. Tenha seus olhos voltados para o objetivo – foque na receita – e isso evitará que seu negócio se esgote.

Sinal 8: Você não conhece suas saídas

Dinheiro é o que mantém uma empresa viva. Uma vez que o dinheiro tenha acabado, seu negócio também acabou. Uma dica simples? Preste atenção no seu cofrinho! Não deixe seu dinheiro se esgotar.

Existe até um termo para isso – saída – que é o tempo que você tem até sua startup ficar sem recursos. Então, busque algum investimento. Implore para aquele seu tio rico. Penhore aquela coleção de selos ou venda seu carro. Mas arrume algum dinheiro. A melhor posição para se estar é na posição de conhecimento e controle.

Você sabe quanto de dinheiro ainda tem. Apenas você sabe o quanto seu negócio pode existir, apenas você controla o fluxo de caixa.

E-book gratuito recomendadoFreelancer: Liberdade com muito trabalho e resultados

Conclusão

Empreender é complicado. Realmente complicado. Começar um negócio é jogar com o erro. Pode resultar numa grande perda de dinheiro ou destruir sua autoestima. Seu senso de autoestima pode diminuir rapidamente.

Em outras palavras, se você deseja se sentir feito lixo dia após dia, ano após ano, vá tentar iniciar um negócio.

Mas ao mesmo tempo, há algo irresistível nisso tudo. Sim, startups dão errado. E, mesmo assim, isso significa que algumas irão alcançar o sucesso! Se você prestar atenção nos sinais de alerta, você estará numa posição privilegiada para o sucesso.

Quais foram os sinais de fracasso que você já viu em sua startup? Comente! Até a próxima!

Neil Patel
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários