Durante 52 horas mergulhei no universo paralelo (e incrivelmente veloz) de uma Startup Weekend voltada exclusivamente para as soluções financeiras. Tive a oportunidade de conviver com algumas das soluções pensadas pelos aspirantes a milionários da tecnologia e que em breve estarão no smartphone mais perto de você.

São Paulo, Avenida Paulista, seis e meia da tarde de uma sexta-feira chuvosa (dia 12): “Já era”, pensei eu a caminho do primeiro SW FinTech Weekend SP parada no trânsito caótico. Pra minha surpresa, cheguei a tempo de pegar a apresentação inicial.

Havia gente de todo canto do Brasil. A faixa etária variava entre 24 e 60 anos e nos crachás se lia: Negócios, Finanças, Designer, Marketing, TI.

Minha primeira impressão foi rápida e direta: independente da faixa etária, sexo e área profissional, todos querem abocanhar uma fatia do gigantesco mercado de Apps que transforma amigos de escola em milionários quase que da noite para o dia (ou pelo menos é assim que as histórias são contadas).

Eu estava lá como ouvinte e curiosa. Fui cobrir o evento para o Dinheirama e para o Me Poupe!, do qual sou fundadora, mas não me contive. Quando percebi, já estava ali no meio da galera dando a ideia de um aplicativo que facilitasse o acesso aos sonhos de consumo, o Ipoup, que eu espero em breve estar no smartphone acelerando seus sonhos e me deixando milionária (por que não? :-))

Dos 80 e poucos participantes, 40 deram ideias. Entre elas, maneiras de rentabilizar as famosas bitcoins, projetos de educação financeira, redutores de filas em restaurantes e cinemas, empréstimos facilitados via plataforma digital, novas ferramentas de controle de gastos, games focados na educação de crianças, travas eletrônicas de conta corrente e, claro, tudo isso em poucos cliques e ao alcance das suas mãos.

Eu nunca tinha participado de um evento de Startups, empresas que ainda não existem efetivamente, mas com grande potencial de mercado, e nem sabia que dava para criar uma em menos de três dias.

O ritmo é insano. É preciso validar a ideia com pesquisas de campo para saber se realmente o projeto vai atender à alguma necessidade. Além disso, exige-se uma apresentação, ou Pitch, do que será aquele Aplicativo, qual será o Layout, o tamanho do mercado que ele vai atender, como se espera ganhar dinheiro, quem são os concorrentes, porque o seu projeto é relevante, quanto vai custar e etc.

São várias tarefas que precisam ser cumpridas em 54 horas e com pessoas que você não conhece. Trabalhar com um grupo de desconhecidos não é tarefa fácil, mas no fim todas as ideias saíram da cabeça e foram para a tela do computador.

Das oito ideias finalistas, o Ipoup ficou com o terceiro lugar, escolhido por um júri de investidores. Nem acreditei! Perdemos para os projetos de educação financeira para crianças e para um App que promove empréstimos a preços mais justos.

O primeiro lugar ganhou como prêmio assessoria e acompanhamento especializado para colocar a Startup para funcionar. O líder do grupo, um rapaz de 20 e poucos anos, em breve poderá estar rico, mas vai ter que trabalhar muito pra que isso aconteça.

Foi uma baita experiência e espero compartilhar em breve os novos passos dessa aventura por aqui. O que me deixou mais satisfeita em participar ativamente desse evento é que existe gente muito competente pensando em maneiras inteligentes e simples de facilitar a sua vida financeira.

E como sonhar faz parte do meu novo negócio, deixo aqui o desafio: idealize seu sonho, estipule o preço e a meta de tempo em que quer alcançá-lo e não deixe nada, nem ninguém desviá-lo desse objetivo.

Se no caminho você se perder, não desanime! Saiba que aqui deste lado tem alguém trabalhando pra que o seu sonho se torne realidade o mais rápido possível! Veja mais dicas sobre como se aproximar dos seus sonhos de consumo em poupecomsara.blogspot.com e seja feliz. Até a próxima!

Foto “Money magnet”, Shutterstock.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários