Eu sou uma apaixonada pelo mundo das startups. Isso porque, desde 2000, na faculdade, quando comecei a cobrir economia e entender melhor este mundo das finanças, venho observando o quanto elas têm possibilitado novas e melhores escolhas a todos.

Profissionalmente, trabalhei em algumas ou para algumas, como Nubank, Acesso Card, Moneto, GoMoney e agora Pier. E sou cliente de várias delas. É por isso que resolvi fazer este artigo para que você também possa conhecer de que forma as fintechs, insurtechs e tantas outras startups podem te ajudar a economizar e fazer bons negócios.

Entre alguns exemplos práticos, podemos falar em cartão de crédito (Afinal para que gastar tanto com anuidade hoje se já há possibilidade de não pagar anuidade alguma?), empréstimos (Para que depender unicamente de banco se você tem um bom score e pode pagar bem menos em juros com as fintechs de crédito?), e conta bancária (Eu costumava pagar R$ 69 por mês para ter uma conta PJ que usava apenas para receber. Hoje não pago nada mensalmente, apenas uma pequena tarifa quando faço transferência). E você, quanto tem gastado a mais simplesmente por não conhecer as opções existentes ou ter certo receio em usar o novo?

Separei algumas startups por serviços ou produtos oferecidos para que você possa conhecer. E até agora falei bastante daquelas ligadas ao mundo do dinheiro, mas há muitas outras em categorias diversas. É importante ficar de olho para não “perder o bonde” como dizia minha avó. E aqui no Dinheirama te ajudamos com isso!

Melhor que a poupança: Diin rende 106% da poupança com mais segurança e facilidade!

Guardar e investir

Muitas das fintechs existentes também estimulam a poupança e o investimento, e podem ser uma mão na roda para quem não consegue guardar. A Diin é uma delas, e você pode abrir uma conta e ir aplicando tudo que sobra. A ideia é estimular o hábito de poupar. O interessante é que o rendimento é maior que o da poupança: 106% da remuneração da caderneta.

Conta bancária

Ter uma conta digital hoje em dia é sinal de inteligência financeira, independente de você continuar tendo outro tipo de conta (Até porque muitas vezes o seu banco te dá um limite de crédito e outras vantagens atrelados ao seu tempo de relacionamento e pode valer a pena manter é claro). Mas em geral essas contas digitais não têm mensalidade e você paga apenas pelos serviços usados. Dá para emitir boleto e fazer transferência sem pagar nada em muitos casos, o que significa uma baita economia no médio e longo prazo. E, como já disse, tem inclusive conta para pessoa jurídica. Algumas opções: Banco Inter, Agibank, Nubank, Neon.

Startups para pegar empréstimo

Você já ouviu a gente dizer que quando se tem dívidas o melhor a fazer é tentar negociar e trocar as mais caras por dívidas menores, certo? As fintechs de crédito usam muita tecnológia para entender o comportamento do consumidor, e é por isso que conseguem oferecer taxas menores e diferenciadas. Algumas delas são: Geru, Lendico e Creditas.

Seguro

Na área de seguros também tem startup se diferenciando no mercado. A Pier, que oferece seguro para celular, possibilita contratação mensal, cobertura de furto simples (que o mercado não cobre), e aceita celulares usados e sem nota fiscal (que o mercado também não costuma aceitar). O valor do seguro é conferido na hora, antes da contratação pelo site, e não tem franquia caso aconteça roubo ou furto.

Startups para treinar idiomas

Quer coisa melhor que praticar um idioma no horário em que puder, pagando um preço que você escolhe, e ainda com professores nativos? Hoje em dia também dá para fazer isso, e aí você não precisa depender das escolas para aprender ou treinar. Eu uso a Italki, que é uma plataforma que reúne quem quer aprender e quem quer estudar.

Venda de usados

Vender o que você não usa mais é uma ferramenta para ganhar aquele extra sempre que necessário e ainda deixar a casa mais livre. Eu sou a favor de conceitos minimalistas, menos coisas e mais experiências! São muitas as startups que permitem que você ofereça seus usados na plataforma. Neste artigo falamos sobre isso.

Trabalho

Outra vantagem trazida pelas startups é a possibilidade de se ganhar um extra trabalhando (E em tempos como os atuais, muitas vezes nem se trata de um extra, mas da principal receita mesmo). Você pode dirigir um Uber, ser cuidador de cachorros na Dog Hero, fazer marmitas para vender na Eats for You, oferecer freelas através do GetNinjas. Fique de olho porque se não há espaço no mercado tradicional, talvez seja válido procurar oportunidades nas startups.

Startups para viajar

E também precisamos falar em viagens. Se você nunca experimentou ficar em um Airbnb, não sabe o que está perdendo! Já fiquei em Airbnbs tanto no Brasil quanto no exterior e a experiência foi ótima. Para quê ficar na dependência de hotéis se você pode alugar um quarto na casa de alguém ou até a casa inteira se estiver em grupo? E do mesmo jeito, você também pode oferecer um espaço na sua casa e ser um anfitrião, ganhando aquele extra. Além disso, também existem startups como a Worldpackers, que troca serviços por hospedagem e podem ser uma boa para quem quer conhecer o mundo, mas está sem dinheiro. E aí, animado para experimentar? Eu recomendo!

Janaína Gimael
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários