Ficar rico não é algo tão fácil assim, é bom começar dizendo isso. A maioria das pessoas passa boa parte da vida sonhando em enriquecer, mas muita gente acaba passando os dias tentando sobreviver, quase sempre pagando dívidas construídas a partir de péssimas decisões financeiras.

Há quem opta, em diversos momentos, pelo caminho mais fácil, aquele que oferece os prazeres imediatos – o tentador atalho sempre surge quando estamos indecisos. Pensar e planejar o futuro parece algo impossível, uma vez que a sociedade atual preza demais os prazeres imediatos.

A realidade é que queremos facilidades e acreditamos que em uma única “tacada de mestre” seremos capazes de superar todas as dificuldades e, ainda por cima, encontrar uma forma de enriquecer (pense nos personagens de alguns filmes e novelas por ai).

Confesso que tive que convencer meus amigos do Conselho Editorial do Dinheirama quanto ao título do texto. Antes de ir para a conversa sobre o tema do artigo, pensei muito, mas não encontrei outra forma de deixar clara a intenção deste material; a verdade é uma só: a chance de qualquer pessoa ficar rica tomando atitudes idiotas é nula.

Ok, alguns poderão dizer que existem as exceções. Sim, é verdade, elas sempre existirão, em qualquer área de estudo. Claro que existem indivíduos que, num golpe de sorte e também competência (existem alguns idiotas profissionais), conseguem enriquecer, mas eles são bem poucos (apesar do barulho que fazem).

Você não vai ficar rico agindo como um idiota

Os avanços da humanidade nas últimas décadas são notórios. As pessoas passaram a conviver de forma completamente diferente nos últimos 20 anos, graças, em grande parte, ao surgimento da tecnologia e, claro, da Internet.

Nesse contexto, as oportunidades de buscar diferenciais cresceram exponencialmente. Hoje, com um pouco de iniciativa e boa vontade, é possível ter acesso a muito conhecimento valioso, um dos principais ativos para uma carreira/vida bem-sucedida.

Ai começa a história do idiota, porque é assim que deve se sentir quem se acomoda dentro da famosa “zona de conforto”, e lá espera o tempo passar, acreditando que um dia a sorte vai transformá-lo em alguém de sucesso ou fazê-lo ficar rico.

Está cada vez mais claro que o sucesso financeiro só chega à medida que encontramos o sucesso como seres humanos, como pessoas (isso significa ser um bom amigo, cônjuge, pai/mãe antes de ser rico financeiramente).

No livro “Os Segredos da Mente Milionária”, T. Harv Eker define como um dos princípios de riqueza a seguinte afirmação:

“Se você quer mudar os frutos, primeiro tem que trocar as raízes – quando deseja alterar o que está visível, antes deve modificar o que está invisível”

O pensamento é perfeito, pois deixa transparente a necessidade de cuidarmos do intelecto antes de pensarmos em qualquer tipo de resultado financeiro.

É importante cuidado para que não exista confusão entre cuidar do intelecto e agir com simplicidade, afinal todos nós conhecemos pessoas extremamente simples que conseguem darem mostras de grande valor, conhecimento e prosperidade.

De volta ao tema do artigo, ao longo de minha trajetória militando no campo das finanças pessoais, percebi algumas atitudes idiotas que muita gente toma. A partir de agora, aproveito o nosso espaço de discussão e aprendizado para compartilhar reflexões neste sentido com você:

Idiotice 1: Passar a vida gastando mais do que ganha

Essa é provavelmente a idiotice mais óbvia que existe. A matemática é uma ciência exata, e por mais que se tente utilizar subterfúgios financeiros, como parcelamentos e empréstimos, mais cedo ou mais tarde o acumulo de gastos faz com que o orçamento exploda.

Muita gente ainda vive gastando mais do que ganha e dependendo do crédito para fechar as contas do mês. Cabe aqui um lembre importante: vivendo no Brasil um período crítico em relação aos juros.

Quem utiliza o cheque especial como complemento de renda, hoje paga em média 10,5% ao mês; ao repetir essa idiotice por muito tempo, as finanças tendem a entrar em um colapso e a chance de estourar o limite do cheque especial é enorme. Pense por um instante: você já ouviu falar de alguém capaz de ficar rico mesmo devendo no cheque especial?

Sugestão: Para elevar seu conhecimento sobre o tema, sugiro que assistam ao vídeo “Cheque especial: crédito fácil, juros altos”, gravado pelo meu amigo Conrado Navarro, que trata dessa perversa relação entre as pessoas e o cheque especial:

Idiotice 2: Continuar investindo como se estivesse nos anos 80

Nos parágrafos acima, mencionei o fato de que o mundo mudou muito nas últimas décadas. Muitos leitores do Dinheirama não eram nem nascidos nos anos 80, então vale relembrar: a realidade daqueles tempos é difícil de explicar, mas nada do que vemos hoje em relação à crise chega perto do que vivenciamos naquele triste período (econômico) do país.

A superinflação corroía, da noite para o dia, o poder de compra das pessoas; quase ninguém conseguia uma maneira de ver o dinheiro durar mais do que algumas poucas horas, e assim corriam para o supermercado para tentar comprar e estocar tudo o que fosse possível.

Investir naquela época era privilégio de poucos abastados, que acabavam mandando o dinheiro para fora do país ou investiam em imóveis. Pouquíssimos aplicavam em outros produtos, que praticamente se resumiam à já presente caderneta de poupança e alguns títulos privados.

Nossos pais viveram nessa realidade e, infelizmente, muitos transferiram esse pensamento de poucas perspectivas para a atual geração. Acontece que o país avançou, a estabilização econômica trouxe uma série de benefícios que foram além do controle inflacionário e hoje existem diversos produtos financeiros acessíveis ao pequeno investidor.

Muitos destes poupadores acabam se deixando levar por conselhos dos pais e continuam investindo como se estivessem nos anos 80. É hora de se atualizar e aproveitar investimentos mais interessantes disponíveis hoje (muitos deles sequer existiam décadas atrás).

Com o atual cenário econômico, a caderneta de poupança deixou de ser a melhor oportunidade de investimento. Ela não oferece a mesma rentabilidade de outros produtos de renda fixa e no quesito risco já possui concorrentes com a mesma segurança.

Alguns que optam por fechar os olhos e utilizam como desculpa a familiaridade na hora de investir revelam um comportamento idiota, já que é sempre fundamental uma postura ativa na busca das melhores oportunidades de investimento.

Não existe café grátis e nada cai do céu, a diferença será sempre o envolvimento, a busca e a curiosidade ao garimpar, em todos os momentos, as oportunidades para separar os bons negócios dos micos. Não dá para ficar rico sem criar as oportunidades neste sentido, não é mesmo?

Leitura sugerida: Resenha do livro “A Saga Brasileira”

Idiotice 3:  Considerar-se o “sabe tudo” e abrir mão da ajuda profissional

É verdade que as pessoas são capazes de feitos incríveis com um pouco de força de vontade – são inúmeros os casos espalhados por ai que comprovam isso. Entretanto, quando o assunto é dinheiro é comum notarmos pessoas cometendo erros porque preferem tomar as decisões sem muito conhecimento sobre o assunto.

Contar com ajuda profissional para a gestão das finanças e escolha dos investimentos pode ser um grande trunfo para quem não tem conhecimentos suficientes ou simplesmente não tem tempo para acompanhar de perto a economia e o mercado financeiro.

Hoje contamos com excelentes profissionais e consultorias que podem ajudar a criar um planejamento financeiro eficiente, com base nos objetivos e perfil de cada pessoa. O fundamental aqui é não ter receio de pagar por serviços que possam render bons negócios e aumento de patrimônio.

A realidade é simples: o investimento na contratação de um bom profissional costuma ser muito menor do que a frustração de seguir em frente e continuar cometendo erros que prejudicam seu bolso e sua vida.

Leitura sugerida: Quem deve procurar consultoria financeira profissional?

Conclusão

Agir como um idiota nas finanças é um grave erro. Acabamos nos deixando levar pela soberba e falta de humildade, e preferimos agir como idiotas a pedir ajuda e rever alguns conceitos. Alguns acreditam que pedir ajuda é sinal de fraqueza, e que mudar é sinal de incoerência.

“Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, no que respeita ao universo, ainda não adquiri a certeza absoluta” (Albert Einstein)

Não se deixe levar por obstáculos criados e estabelecidos por você mesmo como verdades absolutas. Abra sua cabeça e seu bolso para o mundo, confiando de que sempre existirá algo novo para aprender. Tenha a mente aberta para mudar de opinião, sem que isso signifique mudança de caráter e personalidade.

Agir como um idiota pode custar muito caro a você e sua família, tanto no sentido financeiro, quanto emocional. Se você está agindo assim, torço para que consiga perceber isso a tempo e faça uma revolução pessoal capaz de transformar sua vida. Conte com o Dinheirama para isso. Obrigado e até a próxima!

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários