Bem, antes de falar da previdência privada, recordemos a primeira regra básica para quem deseja ter uma aposentadoria tranquila: não deixe seu plano de vida e o futuro financeiro da sua família nas mãos do governo.

Se você deseja entender mais sobre o problema da previdência pública e seus enormes riscos, clique aqui para saber mais.

Para se livrar desse problemão, a saída é recorrer à previdência privada. É realmente importante se preocupar com o futuro e buscar um plano de previdência privada para complementar a pública, mas… Há perigos também.

Cuidado com a previdência privada e seus fundos VGBL e PGBL

A maioria dos fundos de previdência VGBL/PGBL são predominantemente ruins. Ruins, não. Péssimos. Chegam a ser criminosos. Motivos? Basicamente três:

  1. Taxa de carregamento abusiva;
  2. Taxa de administração corrosiva; e
  3. Concentração apenas em Renda Fixa.

Há atualmente R$ 552 bilhões investidos em fundos assim (18% dos R$ 3,1 trilhões de toda a indústria de fundos). Trata-se do segmento que mais cresce nessa indústria, com os fundos de maior patrimônio do mercado.

Entre eles, o Maior Vilão do setor, que mesmo com taxa de carregamento abusiva, taxa de administração corrosiva e concentração em Renda Fixa, está entre os mais populares do mercado (talvez você tenha um desses).

Quer saber que plano de previdência privada é esse, que administra R$ 147,6 bilhões? Explicamos neste vídeo (clique aqui).

Ficamos aborrecidos ao ver as pessoas colocando seu dinheiro suado em planos de previdência tão ruins. Por outro lado, compreendemos as dificuldades de se escolher algo bom.

Nosso especialista no assunto passou meses analisando cada um dos 2.610 planos disponíveis no mercado (isso mesmo, 2,610!) até encontrar algo de qualidade.

O cidadão comum não tem todo esse tempo para pesquisar e geralmente opta pela previdência oferecida no trabalho ou, o que é pior, pelo plano medíocre que o gerente do banco empurra só para bater sua meta de vendas.

Com retornos abaixo de 60% do CDI (a maioria) esses fundos certamente estão entre os piores do mercado, e destroem o projeto de vida de muitas famílias.

Fuja dessas porcarias e coloque seu dinheiro no plano certo

Mas você não precisa continuar refém dessas verdadeiras porcarias. Há sim ótimos planos de previdência privada, que chegam a pagar mais de 120% do CDI. Isso dobraria seus recursos certo? Errado.

Com os juros compostos ao longo de 20 anos, por exemplo, esse valor seria mais que triplicado. Veja um exemplo com um aporte único de 100 mil Reais durante esse tempo, e a diferença nos resultados:

Os fundos de previdência privada podem detonar sua aposentadoria

Nada mal, não é mesmo?

Você precisa entender que é o seu dinheiro que está em jogo, e que não dá para ficar sentado, olhando quase 2 milhões de reais (ou os retornos excedentes proporcionais ao seu investimento) indo embora…

Agora vem a melhor parte: como faço para saber quais são os fundos que não vão “melar” a nossa aposentadoria? Selecionamos os 5 melhores para você. Esse é nosso trabalho. Garimpar o mercado e mostrar para você tudo pronto!

Antes esse tipo de informação era privilégio apenas dos mais afortunados, mas nós surgimos para criar esta ruptura, para quebrar esse paradigma, e tornar as melhores informações financeiras acessíveis a todos!

Então convidamos você a clicar aqui para entender mais detalhes sobre esse assunto, e saber como colocar o seu dinheiro num fundo de previdência realmente “turbinado”.

Nota: Esta coluna é mantida pela Empiricus, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

 

Empiricus Research
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.