Seria possível estarmos diante de uma janela de oportunidade histórica para geração de valor? Sim, não apenas possível, como de fato estamos, e isso significa ótimas chances de lucros.

Temos muita boas razões para afirmar isso, e todas baseadas em fatos relevantes. O resultado de tudo isso é que quem entender o que está acontecendo, e se posicionar corretamente nos seus investimentos, irá se beneficiar do momento.

Vamos primeiro aos fatos, e depois faremos como você poderá aproveitar o “novo Brasil” que está começando a surgir.

1) Esqueça o que você tem ouvido sobre a inflação

O IPCA é o termômetro oficial da inflação do país. Seu retrato mais recente mostra uma substancial virada da inflação a partir do início de 2016. Isso é uma resposta à melhora de perspectivas para as contas públicas e para a taxa de câmbio com a troca de governo. Veja:

10 fatos que criam ótimas chances de lucros nos próximos meses

2) A indústria dá os primeiros sinais de virada

O Índice de Confiança da Indústria, da Fundação Getúlio Vargas, registrou em junho deste ano a sua quarta alta mensal consecutiva. Com isso, alcançou o maior nível em mais de um ano, marcando 84,9 pontos.

A retomada da confiança dos empresários é um passo precedente indispensável para, em segundo momento, acontecer a retomada dos investimentos pelo setor.

3) O seu padrão de consumo pode melhorar

Após uma longa trajetória de deterioração, o indicador que mede o grau de otimismo com a evolução da situação financeira familiar brasileira, subiu nada menos do que 6,2 pontos em junho deste ano.

Em julho, o indicador acumulou a sua terceira alta seguida, atingindo maior patamar desde fevereiro do ano passado.

Relatório gratuito recomendado: Aproveite esta oportunidade rara de multiplicar seu dinheiro

4) Devemos ter uma forte recuperação do PIB em 2017

Em processo de gradativa melhora, as projeções para a economia brasileira já apontam 2017 como o ano da recuperação. O consenso de mercado, representado pelo relatório Focus, atualmente indica crescimento de 1,1% para a economia brasileira no ano que vem.

5) Pela primeira vez em décadas, vamos priorizar o que realmente interessa

Pela primeira vez em mais de uma década, a política de governo deixa de focar no lado da demanda. Isso era feito através da concessão de estímulos ao crédito e consumo para determinados setores da economia.

Agora o foco está no real problema: ganhos de produtividade, estimulando o lado da oferta de bens e serviços. Já podemos falar a palavra “privatização” sem correr o risco de sermos banidos do País.

Há um certo consenso entre os economistas mais competentes, de que é esse o grande problema do Brasil. Se ainda estamos distantes de endereçá-lo, agora pelo menos temos iniciativas práticas nesse sentido.

E, pela rapidez do movimento, realizado no dia da posse do novo presidente, isso é uma prioridade do novo governo.

6) Temos, possivelmente, a melhor equipe econôica em décadas

Se a economia é norteada por expectativas, a credibilidade da política econômica responde diretamente à confiança em quem a conduz. Um choque de credibilidade era necessário, e foi dado à altura.

E não bastasse o background técnico e o apreço dos mercados, a atual equipe econômica goza de algo fundamental, que faltava à anterior: autonomia.

7) O afastamento definitivo de Dilma é muito positivo para o Brasil

Fique claro que a análise aqui é estritamente econômica, apartidária. Estamos fazendo uma análise pró-mercado, e este já se mostrou mais receptivo à consolidação do governo Temer ao invés das demais alternativas.

Uma primeira evidência disso é o grande fluxo de capitais em direção ao Brasil, que já pode ser observada. E é apenas uma pequena amostra do que está por vir

8) Nenhuma moeda do mundo valorizou-se mais que o Real em 2016

Na comparação com as principais moedas globais, o real valorizou-se mais de 20% em relação ao dólar nos primeiros seis meses de 2016. Veja este quadro:

10 fatos que criam ótimas chances de lucros nos próximos meses

Vemos excesso de liquidez internacional, com juros zerados (ou até mesmo negativos) nas principais economias, falta de rentabilidade das aplicações no restante do mundo, ativos brasileiros extremamente depreciados e economia brasileira melhorando os seus fundamentos após anos seguidos de recessão…

Essa combinação de fatores pode levar os ativos brasileiros a um outro patamar.

9) Todos os (trilhões de) dólares precisam ir para algum lugar

O Brasil possui, hoje, um retrato completamente discrepante do restante do mundo. E isso pode ser extremamente positivo.

Enquanto a maioria das economias do mundo vem de uma recuperação (crescimento) nos últimos anos, vislumbrando a possibilidade de desaceleração, experimentamos justamente o oposto.

10) O governo Temer já passou muita coisa

Ainda que percalços e ambiguidades tenham acontecido e o governo Temer tenha pouco tempo, ele já conseguiu importantes vitórias na Câmara e no Congresso, tais como:

  • A desvinculação de receitas do orçamento;
  • a nova meta fiscal;
  • a proposta de teto de gastos; e
  • a lei das estatais.

Ganhar o Congresso é fundamental para tocar as reformas estruturais.

Como obter lucros enormes a partir deste cenário de oportunidades?

Depois de tudo o que apresentamos, esta é a pergunta mais importante a ser respondida. Estamos diante da maior oportunidade de construir patrimônio desde o ano de 1994!

Uma oportunidade que está aberta para todos aqueles que souberem se posicionar com alguns investimentos. O tempo e a recuperação da economia cuidarão de fazer o restante para você.

Mas que tipos de investimento devo fazer? Onde devo colocar o meu dinheiro para aproveitar esse momento da melhor forma?

Temos condições de informá-lo sobre isso e em detalhes, mas este espaço de leitura é insuficiente para isso. Então convidamos você a clicar aqui. Você será direcionado para outra página, onde explicaremos isso em detalhes.

Nota: Esta coluna é mantida pela Empiricus, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Empiricus Research
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.