Planejar é importante em todas as etapas e fases da vida. O planejamento tanto das suas tarefas quanto da sua vida financeira depende de diversas etapas e cuidados. E, você só vai aprender corretamente se seguir as etapas que listamos aqui.
Todo planejamento é importante. Afinal, sem uma direção programada a ser seguida, qualquer direção tomada te levará de um ponto a outro. Mas, se você deseja realmente ter um controle maior sobre o seu dinheiro. Ou seja, deseja que você saia da condição que está agora e vá até onde você deseja ir (realmente deseja ir), continue lendo esse artigo.
Para tornar mais fácil a nossa conversa, eu listei 7 passos que você deve tomar para então realizar um bom planejamento e poder segui-lo.
Afinal, todo grande objetivo pode ser separado em pequenas metas e/ou etapas. Então, venha comigo nessa jornada e mude a sua vida.

Passo 1: Seja específico

Isso mesmo, seja mais específico. Mais importante que elaborar uma meta é ter uma meta específica. Quando realmente desejamos algo, o nosso cérebro trabalha para encontramos soluções que satisfaçam essa necessidade.
Por exemplo, se você possui um objetivo vago, seu cérebro estará gastando mais energia e pode ser que você não chegue no objetivo desejado.
Então, como tornar um objetivo vago em algo específico?
Imagine que o seu objetivo seja ser rico. Isso é um objetivo muito vago. O termo ser rico deixa margem para muitas interpretações, tanto em relação a outras pessoas quanto ao significado que isso representa para você. Dependendo do seu momento atual, ser rico pode significar ter R$ 1 milhão na sua conta bancária.
Em outra situação, pode significar ter R$ 5 milhões. Ou ainda, ser rico talvez não signifique ter dinheiro, e sim ter a possibilidade de fazer o que quiser da sua vida, ter sua família unida ou a possibilidade de viajar pelo mundo. Ao invés de ser rico financeiramente, pode significar ser rico emocionalmente, ou bem realizado.
Outro exemplo de objetivo vago: Quero emagrecer! Ser magro também gera várias interpretações. Pode ser que ser magro para você seja ter músculos definidos, ou pode ser que seja ter um peso apropriado em relação a sua altura.

Mais a fundo na meta

Então, para tornar essas metas específicas, é necessária uma investigação a fundo do que você quer e uma definição. Utilize papel e caneta e deixe a sua mente fluir, depois reúna tudo e tente definir.
Olha só, vamos refazer o pensamento acima.
Falei aqui com você sobre “ser rico”. Agora, vamos definir uma meta. Ao invés de utilizar o pensamento de “eu quero ser rico”, por que não utilizar pensar em “quero ter R$ 1 milhão”?
Veja que R$ 1 milhão não gera dúvidas para ninguém, ter R$ 1 milhão é ter R$ 1 milhão! Você pode até desenhar, ou melhor, eu desenho para você
R$ 1 milhão = 1.000.000,00 de reais
Viu?
Conseguimos agora traçar uma meta específica.
E, se fosse querer ser magro? Como ficaria?
Vamos trocar o “eu quero ser magro” para eu quero perder 15 kg.
Eu, por exemplo, peso 78 kg. Se eu desejar “querer ser mais magro” com certeza 15 quilos e menos (63) me fariam ser mais magro do que sou atualmente.
Mas, um outro ponto que você deve levar em conta é o tempo. Sim. O tempo. Pergunta-se quando eu quero isso? Que dia? Que mês? Que ano? Ao estipular um prazo, você se compromete com o objetivo e ainda consegue medir seu desempenho.

Passo 2: Sua meta precisa ser sistêmica

Como assim? O que é ter uma visão sistêmica?
Ter uma visão sistêmica refere-se a enxergar e ter conhecimento amplo de sua vida e objetivos como sistema. Dessa forma, ficará mais fácil ver relações entre seus vários objetivos e entender se eles se encaixam ou não.
Como, então, relacionar isso aos seus objetivos?
Pergunte-se como a realização da sua meta elaborada no passo #1 irá se relacionar com outros objetivos que você possui e quais as possíveis consequências para você e a sua família.
Por exemplo, se você quiser ter R$ 1 milhão e com isso pretende mudar de casa, pagar a educação dos filhos em uma escola mais cara, pergunte-se como isso irá afetar a vida da sua família. Será que seu marido ou esposa e seus filhos querem esse novo estilo de vida? Quais as possíveis consequências desse aumento do padrão de vida?
Ou então, digamos que seu objetivo é construir no final do ano sua própria empresa e você está consciente que irá dedicar mais tempo ao trabalho que para sua família. Pergunte-se como sua família irá encarar isso. Será que é o momento de estar mais presente ou mais ausente?
É necessário estar envolvido num sistema em que as pessoas ao seu redor também estejam comprometidas com a sua meta ou que você se sinta bem em seguir a meta. Por exemplo, imagine que você deseja muito perder peso e que para isso será necessária uma reeducação alimentar.
Agora, pense em como isso seria difícil se as pessoas ao seu redor, tanto amigos quanto familiares não se preocupem com a sua meta e constantemente te chamem para comer “gordice” ou hambúrguer. Com certeza ficaria difícil manter hábitos mais “saudáveis” em um ambiente em que não te ajuda.

Passo 3: Metas sempre positivas

Imagine que você deseja muito alcançar alguma meta, mas você está sempre se “sabotando” para alcançá-la.
Estipular suas metas de forma positiva é como virar uma chave na sua mente que te ajudará a se aproximar da linha de chegada.
Parece simples, né?! Acontece que normalmente as pessoas se referem ao que NÃO QUEREM e isso vira uma chavinha de afastamento do objetivo na mente delas.
É difícil interpretar a palavra NÃO! Tente só. Imagine não “alguma coisa”.
Não pense em um mágico com um coelho saindo da cartola.
Não imagine você comendo um delicioso hambúrguer com fritas.
Não pense em beber um copo de água.
Como foi a experiência de ler essas três frases? Provavelmente antes de se imaginar fazendo o não, teve que imaginar a cena acontecendo para depois imaginar não acontecendo. Por isso, quando você falar o que não quer, estará direcionando seu inconsciente para a ação e isso afastará você da sua meta.
Quando você estipula sua meta positivamente, está direcionando seu inconsciente ao objetivo, estará criando essa realidade. Dessa maneira, estará produzindo algo para se aproximar.
Outras palavras que estimulam o afastamento da meta são: “Quero parar de…”, “Quero perder…”, “Não quero…”
Veja, se o seu objetivo financeiro estiver no modelo “Não quero ser pobre” ou “Não quero passar aperto na aposentadoria”, terá que investigar o que pobreza ou passar aperto significam.
Reformulando suas metas negativas em positivas
Exemplos:
Eu quero ter R$ “X” para poder manter meu estilo de vida quando me aposentar;
Eu quero conquistar R$ “X” para poder ajudar as pessoas mais necessitadas.

Passo 4: Evidências

Você já viu aquele filme ou desenho em que alguém ao entrar em algum lugar desconhecido fica perdido? E, para então conseguir chegar a uma saída (objetivo) passa a observar o caminho por onde passou.
Então, isso é um exemplo de evidência visual para alcançar algum objetivo.
Se o seu objetivo é alcançar R$ 1 milhão e, você possui R$ 10 mil investido, é necessário então que você observe mês a mês se o saldo na sua conta é crescente. Se está crescendo conforme as metas estipuladas então você está no caminho certo.
Por outro lado, se não está crescendo ou até mesmo diminuindo então, você tomou algum caminho errado e precisa revisar o caminho tomado.
Vou utilizar, novamente, o exemplo da perda de peso. Lembra que eu tinha falado que pesava 78 kg?
Então, para perder os meus 15 kg que gostaria, eu estipulei que desejo perder 1 kg por mês e que desejo fazer isso pelos próximos 15 meses.
OK. Objetivo criado com metas intermediárias.
Agora se passado 9 meses, já consegui alcançar o meu objetivo, significa que consegui andar muito bem com o objetivo criado e estava comprometido.
Agora, por outro lado, se já tivessem passados 3 meses e não consegui perder nenhum peso e, pelo contrário, tivesse ganhado até mais 3 kg (81 kg), significa que algo andou muito errado no meu projeto e precisa ser revisto com muito cuidado.
Entendeu a importância de verificar periodicamente as suas evidências. Após traçar um objetivo e metas intermediárias, você tem que ficar acompanhando periodicamente se está no caminho certo ou se o seu plano saiu dos trilhos e precisa então voltar.

Passo 5: Recursos necessários

O que você faz quando planeja uma viagem? Ou quando vai fazer um almoço em família?
Pode ser que, primeiramente, você identifique para onde vai viajar ou qual prato irá preparar. Em seguida, você precisará avaliar os recursos necessários para completar a tarefa.
Se for viajar, irá precisar comprar passagens, alugar um carro ou separar uma grana para a gasolina. Se for fazer um almoço, irá precisar dos ingredientes em quantias certas. Esses são alguns dos recursos que você irá precisar parar esses objetivos.
Então, como isso irá afetar as minhas metas?
Ao identificar recursos, você poderá dividir em dois segmentos: recursos que você já possui e recursos que irá precisar aprender, desenvolver ou conseguir.
Por exemplo, se você está endividado mas possui dinheiro na conta, basta pegar esse dinheiro e quitar a sua dívida (recurso que já possui). Mas, se está endividado e não possui o dinheiro imediatamente para quitar, então deve-se avaliar como conseguir esse novo recurso para quitar a dívida.
Talvez, a venda do carro ou até cobrir algumas horas extras a mais podem te ajudar a eliminar essa dívida.

Passo 6: Descubra o tamanho da sua meta

Uma das grandes dificuldades em conquistar uma meta está relacionado ao tamanho. Metas muito grandes pedem mais energia, esforço, foco e paciência. Uma meta muito grande pode transformá-la em inalcançável. É fácil desistir.
Ao desenhar uma meta seguindo esses passos, você estará traçando um guia! Por isso, é importante detalhar cada etapa. Se você possui uma meta muito grande e de longo prazo, pode dividir em pequenas metas de curto e médio prazo. Assim, saberá que o caminho está certo.
Um atleta que deseja ser campeão mundial em sua modalidade precisa treinar, ganhar os campeonatos regionais, se classificar, ganhar os campeonatos nacionais e mundiais. Isso não acontece da noite para o dia. É preciso, então, fazer com que cada etapa seja uma meta.
Imagine que você não possua investimentos, ainda, e deseja conquistar sua independência financeira, por exemplo, e descobriu que R$ 1 milhão representa essa independência. Começar do zero e entender que isso pode levar cerca de 10 ou 15 anos pode ser desanimador.
Para reverter essa situação, sabendo que a meta maior é a de conquistar R$ 1 milhão, você pode desmembrá-lo em pequenas metas que estejam no caminho da meta maior, por exemplo, aprender a investir e controlar o seu dinheiro, realizar investimentos mensalmente e fazê-los chegarem a R$ 100 mil!
Depois que você conquistar os R$ 100 mil, terá desenvolvido habilidades, como paciência e disciplina. Será muito mais fácil fazer R$ 100 mil virar R$ 300 mil e depois R$ 500 mil e finalmente R$ 1 milhão!

Passo 7: Quais são as alternativas?

É importante que você tenha alternativas para tudo na vida, não seria diferente na trajetória rumo à sua meta!
Nesse último passo, você precisa entender que nem tudo poderá sair como o planejado e para isso você necessitará de alternativas ou então irá desistir no primeiro obstáculo.
Por que é importante criar alternativas?
Alternativas nos dão opções de agir quando algum detalhe não sai como programado. Se você não tiver opção, os outros vão decidir por você. Acontece que a meta é sua, você deve ter o poder de escolha.
Por isso, crie pelos menos três alternativas!
Porque se você possui uma alternativa apenas, na verdade você não tem alternativa. Quando você possuir duas alternativas, na verdade você tem um dilema, ou é uma coisa ou é outra. Agora, quando tiver três opções, você irá, de fato, poder escolher a melhor!
Conclusão
Vimos que todo plano precisa ter passos a serem seguidos e, esses passos são ótimas ferramentas. Afinal, além de conseguir mensurar as suas metas, também ajudam a te direcionar no alcance delas.
Para conquistar grandes objetivos, primeiro é necessário conquistar pequenas metas.
Castelos não são feitos da noite para o dia, eles são construídos com pequenos tijolos, que são as suas metas. Todo objetivo é grande o suficiente ao ponto que pode gerar desanimo e desistência. Mas, para isso não acontecer, siga os nossos passos para te ajudar.
Para entrar em contato conosco, clique aqui.
Obrigado pela leitura.

Ruan Marins Nogueira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários