Por Walter Poladian Filho, consultor de investimentos e planejador financeiro do Criando Riqueza.

Em nosso país, a maioria das pessoas sabe muito pouco sobre investimentos. Quando o assunto são ações de empresas na bolsa de valores, a situação fica ainda mais complicada. Então neste texto, vou tratar de ensinar algumas coisas importantes, como alguns critérios para se escolher uma boa ação.

Embora muitos analistas nos dias de hoje escrevam em linguagem didática, identifiquei alguns termos do mercado de ações (os mais frequentes no mercado financeiro, seja nos relatórios, nas mesas de operações ou de bar) para explicar hoje a vocês.

Primeiramente, comento sobre os dois tipos de escolas de análises existentes, a Fundamentalista e a Técnica.

Qual é a diferença entre elas?

As análises técnica e fundamentalista são completamente diferentes. Os analistas técnicos estudam o comportamento dos preços das ações a partir da interpretação de gráficos e da análise de séries temporais.

Sua principal finalidade é determinar a tendência de um ativo financeiro, rastreando o comportamento da oferta e da demanda. Procura-se o melhor momento para comprar ou vender uma ação. Por sua natureza, normalmente, a análise técnica tem uma visão de prazo curto. Analistas técnicos não analisam dados financeiros das empresas.

Já a análise fundamentalista, é baseada nos resultados das empresas. Os analistas começam olhando os balanços financeiros das empresas, passam para sua estratégia, gestão, setor, posicionamento e mercado. E existem muitos outros pontos analisados.

Analistas fundamentalistas se baseiam em balanços que são divulgados trimestralmente, logo, têm uma visão muito mais longa, de trimestres e anos. Um dos estilos de investimento mais conhecidos dentro da análise fundamentalista é o Value Investing (investimento em valor).

O que é Value Investing?

A idéia principal é comprar algo por um preço menor (muito menor) do que seu valor intrínseco (real) – daí vem o nome.

A princípio, o objetivo era olhar os ativos no balanço de uma companhia para analisar se seu valor de mercado era menor do que seu valor de liquidação. Mas a teoria se desenvolveu e hoje têm Warren Buffett como seu maior ícone.

Atualmente, Buffett utiliza muitos dos mesmos princípios originais, mas não foca no valor de liquidação, e sim no valor dos lucros futuros de uma companhia. Buffett procura pelas melhores companhias, aquelas que terão lucros grandes, sólidos e crescentes com o passar dos anos.

Relatório gratuito recomendado: Fuja das ciladas dos bancos

O que é balanço patrimonial?

Antes de continuar para os múltiplos de mercado utilizados pelos analistas, é importante conhecer o que é o balanço patrimonial que, junto com o demonstrativo de resultados (DRE), fornece os números necessários para os cálculos dos múltiplos.

O balanço patrimonial é como as companhias mostram à sociedade sua saúde financeira. Ele é composto por três peças: Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido. Ou seja, bens, direitos e obrigações da empresa.

Ativos, de forma geral, representam em que os recursos são aplicados. Eles podem ser: máquinas, escritórios, fábricas, veículos, patentes etc. Já os passivos representam as obrigações da empresa – contas a pagar, empréstimos, etc. O patrimônio líquido representa o capital próprio da empresa. O capital dos acionistas investido nos ativos.

PL = Ativo – Passivo.

O que é DRE (Demonstração do Resultado do Exercício)?

Enquanto o balanço é uma foto dos ativos, passivos e patrimônio da companhia em uma data, o DRE é um fluxo de receitas e despesas de um período. O Balanço mostra um momento no tempo, o DRE é relativo a um período (3 meses ou 1 ano).

O demonstrativo começa com receitas brutas, passa por todos os custos e receitas incorridos no período para finalizar no lucro líquido. Com os lucros, de maneira geral, a companhia remunera seus acionistas (via proventos) ou reinveste no negócio.

O que é o ROE?

Não adianta você olhar apenas se o preço de uma ação caiu muito. O mais importante, a primeira coisa que deve ser analisada são os lucros. Qual é a rentabilidade da empresa? A lucratividade da companhia é o mais importante na hora de analisar se o negócio é bom ou não.

E temos esta resposta claramente observando o ROE (return on equity) ao longo do tempo. Traduzindo para o português, é o retorno sobre o patrimônio.

ROE = lucro líquido/patrimônio líquido.

O numerador normalmente é o lucro acumulado nos últimos 12 meses. E o denominador pode ser extraído do último balanço ou calculado como uma média dos últimos 12 meses.

O ROE mede a qualidade dos investimentos da companhia para gerar crescimento de lucros futuros e a eficiência da alocação de capital.

Leitura recomendada: Aprenda a investir e cuidar você mesmo do seu dinheiro

O que é P/L?

O múltiplo Preço/Lucro é uma forma de comparar ações e mostra os preços relativos das ações, diz se as ações estão baratas ou caras. Utilizamos P/L como múltiplo dos lucros. Por exemplo, Itaú negocia a 9,1 vezes (ou 9,2x) lucros.

Existem outras formas de determinar preço, mas o P/L é o mais utilizado. O numerador é o preço de mercado (na bolsa), e o denominador é o lucro líquido.

O que é P/B?

Price to Book (P/B), ou preço sobre o valor patrimonial (P/VP), é a comparação entre o valor patrimonial da companhia e seu preço de mercado. O numerador é o preço de mercado (na bolsa), e o denominador é o Patrimônio Líquido (do balanço).

Para empresas muito lucrativas, o P/B tem menor significado. O índice é mais utilizado como um valor de liquidação da empresa. Por exemplo, Vale negocia a 0,47x P/B. Imaginando que para uma companhia montar toda a estrutura da Vale (minas, equipamentos, estrutura) custaria 1x P/B, Vale negocia muito abaixo do valor de reposição de seus ativos.

Conclusão

Estes são apenas alguns dos diversos múltiplos existentes e utilizados pelos analistas. Espero que você tenha gostado de aprender um pouco mais sobre o universo de investimentos.

Antes de me despedir, não posso deixar de te convidar para ler um de nossos relatórios gratuitos (clique aqui), que será muito útil para o seu dia a dia no trato com seu dinheiro. Um abraço e até a próxima!

Nota: Esta coluna é mantida pelo Criando Riqueza, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Criando Riqueza
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários