Dizer que o final do ano é uma boa época para fazer reavaliações sobre vários campos da vida, inclusive o financeiro. Pode até ser clichê, todavia, este é de fato um bom período para realizar essa tarefa.

É muito importante revisar a situação financeira de tempos em tempos e por que não aproveitar esta época em que costumamos ter alguns dias livres por causa de férias coletivas, por recesso escolar ou mesmo pelos feriados de Natal e Ano Novo?

Manter as contas sob controle e investir para realizar sonhos e desejos são os passos do planejamento financeiro que as pessoas que não procuram a ajuda de um profissional dão mais atenção.

No entanto, há outros pontos importantes que todo plano financeiro deveria incluir. Neste post vou apresentá-los de modo que você possa se planejar para os próximos anos de uma maneira mais eficiente.

Reserva para emergências

A reserva para emergências é o dinheiro que deve ser aplicado para ser utilizado em situações emergenciais, como a quebra da geladeira ou manutenção do carro e até mesmo a perda de um emprego.

O indivíduo que tem reservas passa por situações estressantes de maneira menos turbulenta que os demais, evitando inclusive problemas de saúde que podem ser ocasionados por estresses oriundos da desorganização financeira.

A reserva para emergências deve ficar aplicada em produtos de renda fixa de perfil conservador e de alta liquidez. Entre os produtos mais indicados para aplicar estes recursos estão os fundos referenciados DI com baixa taxa de administração, como o Órama DI Tesouro Master, que cobra taxa de apenas 0,3% ao ano e tem liquidez diária.

Seguro de vida

O seguro de vida é um instrumento valioso que pode proteger as famílias em situações inesperadas. Porém, ainda é objeto de pouca atenção na maioria das famílias.

Para proteger o patrimônio da família durante a fase produtiva, os indivíduos, sobretudo aqueles que possuem dependentes, devem pensar em um seguro que pode ser contratado isoladamente ou atrelado a um plano de previdência privada.

Segundo uma pesquisa do HSBC realizada em 17 países, apenas 34% dos indivíduos que têm filhos e 30% dos que não possuem filhos têm seguros. Este é um modo de evitar que o dependente sobrevivente tenha que utilizar os recursos da aposentadoria antes do planejado.

O seguro de vida pode garantir um bom futuro para os dependentes. Na semana passada, me contaram a história de uma família. Duas crianças perderam os pais em um intervalo de tempo bastante curto.

Com as perdas, as crianças foram criadas pelos avós, que não teriam conseguido educar bem os netos nas melhores escolas e faculdades se os pais não tivessem se planejado e feito um seguro que desse as condições necessárias para custear o desenvolvimento e educação das crianças.

Ninguém deseja uma situação como essa, mas ela nos mostra que devemos estar mais preparados para os imprevistos do que de fato estamos. A pesquisa do HSBC citada acima mostra que apenas na Índia, na Coreia do Sul e em Taiwan mais de 50% das famílias possuem seguro de vida.

Recursos para a aposentadoria

As pessoas querem realizar desejos e sonhos, atender às demandas da família, mas por vezes não dão a atenção devida ao planejamento da aposentadoria nos seus planos financeiros. Esta atitude é estudada nas Finanças Comportamentais.

É fato que as pessoas dão mais valor ao presente por terem dificuldade de visualizar e de se identificar com o futuro.

Quanto mais cedo, melhor

O ideal é que comecemos a investir com foco na aposentadoria o mais cedo possível. Quanto antes se inicia os aportes com o objetivo de manter o padrão de vida no futuro, menor será o esforço necessário para a concretização do objetivo e maiores as chances de se chegar lá.

Casais são mais focados

Neste ponto, vale chamar atenção para que pessoas casadas se organizam mais para alcançar seus objetivos. Isto pode ser resultado de uma série de fatores, mas um é bem conhecido pelas Finanças Comportamentais: o compartilhamento de objetivos.

Quem compartilha seus objetivos com outras pessoas tem mais chances de alcançá-los, pois firma maiores compromissos com suas causas.

Como manter o padrão de vida ao se aposentar?

Outro fator que devo chamar atenção é que para conseguir manter o padrão de vida no futuro você deve manter sua reserva atualizada com o custo do seu padrão de vida. Novas demandas surgem e podem encarecer ou baratear nossos custos – Internet e TV a cabo são confortos modernos que poucos gostariam de abrir mão hoje em dia.

A fim de manter o padrão de vida ao se aposentar, aconselho que você faça aportes nos planos de previdência se estes forem patrocinados pela empresa em que trabalha.

Caso este não seja o seu caso, sua empresa não ofereça um plano de previdência patrocinado, o mais adequado é montar uma carteira de investimentos com o objetivo de manter o padrão de vida na aposentadoria, fazendo aportes regulares em fundos de investimento.

Planejamento tributário

O último ponto que não pode ser negligenciado ao fazer ou revisar seu planejamento financeiro é o planejamento tributário.

Por isso, se for fazer um plano de previdência, considere o tipo de declaração de Imposto de Renda que você faz antes de escolher entre as modalidades PGBL ou VGBL, lembrando que o PGBL é indicado para aqueles que optam por declarar IR pelo formulário completo, pois permitem que você postergue o pagamento do imposto.

Quem tem apetite ao risco deve aplicar maior parcela de seus recursos em fundos de ações, já que esta categoria paga menor alíquota de imposto e tem maior potencial de valorização no longo prazo.

Conclusão

São muitos os aspectos que devem ser considerados no momento de fazer ou repensar o planejamento financeiro.

Caso você ainda precise de ajuda para montar um plano ou para escolher os melhores investimentos de acordo com os seus objetivos, entre em contato comigo através do canal “Fale com a Sandra”, no site da Órama.

Para ter acesso a outros posts produzidos por mim e pelo economista Alvaro Bandeira, visite também ó Órama Blog. Obrigada e até a próxima!

Nota: Esta coluna é mantida pela Órama, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Foto “Financial planning”, Shutterstock.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários