O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) definiu essa semana que o ciclo de alta da taxa Selic se encerrou, ao menos por enquanto. Foi uma das decisões mais aguardadas dos últimos meses – o mercado acredita que ela sinaliza como o Banco Central (BC) vê o atual cenário de inflação no país.

Após nove aumentos consecutivos, o Copom optou por manter a taxa em 11% ao ano. O recado parece ser o de que as altas recentes ainda não se refletiram totalmente nos preços e que isso ainda vai acontecer (e novas altas ainda não são necessárias). Alguns economistas, no entanto, acreditam que após os resultados das eleições os juros voltarão a subir, podendo alcançar 12,5% ao ano em 2015.

O fato é que em 2014 muitas questões surgiram no noticiário econômico, trazendo diversas dúvidas em relação ao crescimento da economia. Atualmente, este crescimento parece ser o principal problema para o governo, que vê todas as projeções do PIB serem revistas para baixo neste ano e com perspectivas ainda piores para 2015. As eleições também prometem mexer com o mercado (clique para ler mais sobre isso).

Um dos pontos que chama minha atenção é que o governo continua gastando muito, e certamente a inflação se fortalece com tantas despesas e um controle pouco eficiente. A gestão precisa melhorar muito para que os gastos sejam direcionados e melhor administrados, e só assim o país poderá investir em ações que realmente promovam o crescimento de forma sustentável.

Como ficam os investimentos com a Selic em 11% ao ano?

Com o atual cenário de juros, os investidores que buscam opções interessantes continuam encontrando ótimas oportunidades em fundos de renda fixa quando comparados com a caderneta de poupança, desde que os fundos tenham taxa de administração máxima de até 1,5%. Fundos com taxa de administração de 2% ao ano empatam com a poupança.

Se você quer investir em fundos conservadores, antes leia os textos abaixo (clique nas opções):

Os juros altos também trazem oportunidades para quem investe no Tesouro Direto, alternativa que oferece títulos que garantem ao investidor rentabilidade atrelada aos juros e inflação. Vale lembrar que o investimento ainda tem como uma das principais características o fato de ser um dos investimentos com maior segurança disponíveis hoje.

Se você pretende investir no Tesouro Direto, mas ainda não sabe como fazê-lo, aproveite e leia os textos abaixo (clique nas opções):

Conclusão

Daqui até o final do ano, a tendência é que poucas mudanças surjam na condução da política econômica. Ao que tudo indica, apenas o debate irá esquentar. Nós, do Dinheirama, vamos ficar de olho na expectativa real de que as reformas necessárias sejam encaminhadas e que o país possa retomar sua trajetória de crescimento, mas com sustentabilidade.

Você acredita em mudanças no sentido de criar as condições para uma transformação no atual crescimento? Qual sua opinião sobre a economia e a política em 2014? Use o espaço de comentários para deixar seu recado. Obrigado e até a próxima.

Foto “Percents”, Shutterstock.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários