Helena comenta: “Navarro, sei que você investe muito no mercado financeiro, mas também é sócio de diversas empresas. Recebi um dinheiro de indenização e gostaria de saber o que acha que devo fazer: abro um negócio ou invisto no mercado financeiro? Obrigada”.

Diante da crise econômica recente e da situação do Brasil (inflação, desemprego etc.), muitas pessoas ficam indecisas em relação às oportunidades. Investir em aplicações financeiras ou abrir um negócio próprio independente (ou franquia)?

O principal para discutir a questão é frisar que não existe certo e errado, assim como não há uma solução que atende a todos de forma semelhante. Toda decisão que envolve riscos precisa considerar o perfil do aplicador/investidor, bem como suas características pessoais e familiares.

Se eu tivesse que dar uma resposta rápida, direta, diria que o mercado financeiro oferece atualmente excelentes rentabilidades com risco bastante baixo – é possível remunerar o capital com Selic (14,25% ao ao em junho de 2016) com liquidez e segurança (investimento em Tesouro Direto).

No entanto, se você tem um perfil semelhante ao meu, ou seja, gosta de correr mais riscos do que a média das pessoas com quem convive, então só a Renda Fixa talvez seja pouco interessante. Um negócio próprio em paralelo ou até mesmo investimento em ações pode fazer sentido. Viu como é difícil opinar? Vamos lá.

Investir em aplicações financeiras

Há uma infinidade de formas de investir nosso dinheiro considerando o curto, médio e longo prazo: renda fixa, Tesouro Direto, ações, opções, fundos, entre outros.

As aplicações de baixo risco oferecem ao investidor mais segurança com um retorno consistente. No entanto, a rentabilidade tende a ser mais baixa que outras aplicações mais arrojadas.

Os investimentos de alto risco (ações, câmbio e derivativos) possuem rentabilidade mais alta, mas não oferecem segurança/garantias. Além disso, o investidor precisa ter paciência, disciplina e sangue frio, pois esses investimentos oferecem maior volatilidade e momentos de rentabilidade negativa e prejuízos.

A vantagem de aplicar os recursos disponíveis no mercado financeiro é a possibilidade de diversificação. Você pode fazer uma carteira com vários tipos de investimento, diminuindo o risco total do investimento ao mesmo tempo em que busca rentabilidade de longo prazo maior que a média.

A outra vantagem de aplicar o dinheiro no mercado é que você não precisa abandonar seu emprego, nem se dedicar exclusivamente para cuidar disso. Essa é a maior diferença entre essas duas modalidades, pois ao abrir uma empresa você precisa estar 100% concentrado e focado em tudo que acontece nela, pois 90% dos pequenos empresários tem como única fonte de renda a própria empresa.

Vídeo recomendado: Investimentos em Tempos de Crise: cuidado com a Manada!

Investir em um negócio próprio

Abrir o próprio negócio é o sonho de muita gente. Não ter patrão, ter a autonomia para tomar decisões e enriquecer são as principais justificativas que as pessoas dão para ter a própria empresa. Permita-me um spoiler: a vida de empresário não é tão maravilhosa quanto pintam por aí não, mas vale muito à pena!

Muitas pessoas investem anos de trabalho árduo como empregados com a expectativa de alcançar esses objetivos. No entanto, de acordo com as estatísticas compiladas pelo SEBRAE, muitas empresas acabam fechando no primeiro e segundo anos.

Ter o próprio negócio é sinônimo de muito trabalho, dedicação mínima entre 10 a 14 horas diárias e, em muitos casos, de abrir mão da vida pessoal para ter sucesso nesse empreendimento.

Para ter sucesso e lucratividade, o empreendedor precisa de muito preparo, conhecimento de gestão, habilidade para negociar com fornecedores e administrar o dia a dia da equipe e empregados, dedicação para controlar custos e estoques e cuidar da publicidade/marketing da marca para atrair mais clientes, além de pensar em soluções que criem um diferencial perante a concorrência.

Quando o empreendedor consegue realizar todas essas atividades com muita eficiência, ele geralmente alcança sucesso e lucratividade. A maior vantagem de escolher abrir uma empresa é que o dinheiro investido numa empresa que dá certo costuma render muito mais que as principais alternativas financeiras existentes no mercado. O risco é bem maior também, lembre-se disso.

Leitura recomendada: O que é melhor: investir em franquia ou começar um negócio próprio do zero? 

Como escolher?

Depois de tantas vantagens e desvantagens, o que escolher? Reforço o que eu já escrevi no começo deste texto: tudo vai depender do seu perfil, se você é empreendedor ou não e se você está disposto a priorizar seu lado profissional em detrimento do pessoal.

O fato é que é possível ganhar muito dinheiro ao investir em aplicações financeiras e também na abertura de um negócio próprio. Mas, em ambos os casos, é preciso muito autoconhecimento, dedicação, aprendizado e trabalho.

Como sugestão, comece com as aplicações no mercado e veja como o risco de algumas delas muda o seu dia a dia. Se você ficar desesperado com a volatilidade e oscilação do patrimônio, risco demais talvez não combine com você (abrir uma empresa entra nesse ponto). Enfim, experimente, mas sem queimar suas reservas. Até a próxima!

Leitura recomendada: Negócio Próprio: O dia a dia financeiro de uma empresa 

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários