Se você tem acompanhando o noticiário, já deve saber que a cada mês a soma dos valores de retiradas da poupança só aumenta. Saber onde investir é essencial nesses tempos.

Segundo dados do Banco Central, as retiradas superaram os depósitos em R$ 12 bilhões em janeiro, R$ 6,6 bi em fevereiro e R$ 5,37 bi em março deste ano. Se considerarmos janeiro, tal valor é a maior saída líquida mensal da poupança na série histórica, que teve início em 1995.

E os principais motivos são: recessão econômica; aumento do custo de vida devido a inflação; e baixo rendimento da poupança.

Guardar dinheiro na poupança é fácil, difícil é ganhar dinheiro lá!

Bom, a coisa mais fácil é transferir recurso da sua conta corrente para a poupança. Certo, mas não estamos em um período econômico tão afortunado para se acomodar com o caminho mais fácil.

Para você ter ideia, em 2015 a poupança rendeu cerca de 8%, sendo que a inflação ficou na casa dos 10,5%. Perceba que o seu dinheiro parado lá perdeu mais de 2% em termos reais. Ou seja, você não consegue comprar as mesmas coisas com o mesmo dinheiro deixado na poupança, e isso é o que chamamos de perda do poder de compra.

Na dúvida, investir no Tesouro Direto

Se você acompanha o Dinheirama, já deve ter lido aqui algum texto sobre o Tesouro Direto. Basicamente, trata-se de um investimento de renda fixa, conservador e seguro. Ele permite que você compre títulos do governo federal, que em troca devolve o valor investido mais juros.

Vídeo recomendado: Invista no Tesouro Direto e garanta rentabilidade real na crise

Tesouro Selic 2021

Se você tem em torno de R$ 5 mil parados na conta (ou poupança) e não tem um objetivo claro para fazer uso dele agora, a opção ideal é o Tesouro Selic. Isso porque, diferente dos outros títulos disponíveis, esse pode ser resgatado sempre que precisar do dinheiro e sem perder a rentabilidade acumulada. Ou seja, não é necessário esperar a data do vencimento do título.

Saiba que você pode investir em Tesouro a partir de R$ 80,00. Bem acessível e sem desculpas para começar, não é mesmo?

Quanto rende o Tesouro Selic 2021?

Apesar desse título ter vencimento em março de 2021, você pode vendê-lo quando quiser, sem perdas. Note que ele é indexado à taxa básica de juros (Selic), que está em 14,25% ao ano, ou seja, muito superior à poupança, mesmo depois de descontado o Imposto de Renda.

Para ajudar você a entender a vantagem desse investimento, mostro algumas simulações com a aplicação de R$ 5 mil em 3 diferentes prazos (já descontadas taxas e impostos no caso do Tesouro Selic).

1 ano de investimento

  • Tesouro Selic 2021: R$ 5.709,48;
  • Poupança: R$ 5.300,00;
  • Diferença de 7,17%.

3 anos de investimento

  • Tesouro Selic 2021: R$ 7.429,02;
  • Poupança: R$ 5.955,08;
  • Diferença de 19,85%.

5 anos de investimento

  • Tesouro Selic 2021: R$ 9.686,90;
  • Poupança: R$ 6.691,13;
  • Diferença de 30,91%.

Lembre-se que você não precisa deixar durante um período obrigatório, as comparações servem apenas para mostrar a diferença de rentabilidade durante determinados períodos.

Viu só? Se você ficou interessado e quer mais informações, recomendamos desse texto que fala bastante sobre Tesouro Direto (clique aqui).

Foto “Great investment”, Shutterstock.

Daniella Gomes
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários