Você já deve ter ouvido que ter um perfil conservador para os investimentos é mais seguro, porque você corre menos riscos. Isso é verdade, e hoje, no Brasil, é também uma ótima opção! Digo isso, porque estamos num momento singular, onde os títulos do Tesouro Direto (que são investimentos conservadores), estão com rendimentos excelentes!

Mas ainda assim, muitas pessoas conservadoras preferem continuar a deixar seu dinheiro na poupança. Aí temos um problema, pois hoje, a inflação já está maior que o rendimento da poupança, ou seja, você hoje perde dinheiro se ele ficar lá.

Então, o que impede as pessoas de investirem em títulos públicos?

Apenas a desconfiança por algo que ainda não conhecem o suficiente.

Para resolver isso, preparamos para você um conteúdo muito útil: são 10 respostas sobre o Tesouro Direto, que abrangem praticamente todas as dúvidas que as pessoas tem sobre o Tesouro Direto. Aqui temos algumas:

1) Existe algum risco de o governo dar “calote” e não pagar os títulos?

2) Por que seria mais interessante investir no Tesouro Direto (Tesouro Selic) do que em LCI ou LCA, que não têm incidência do Imposto de Renda?

3) Todos os títulos do Tesouro Direto têm vencimentos de longo prazo, certo? Se eu quiser liquidar o investimento em 12 meses, ainda vale a pena?

4) Uma corretora é mais confiável que um banco?

Para ver as outras perguntas e respostas e continuarmos essa conversa, clique aqui para acessar o conteúdo completo!

Nota: Esta coluna é mantida pela Empiricus, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Foto: “Safe Investment”, Shutterstock

Criando Riqueza
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários