É consenso de que atualmente estamos atravessando um período de crise, até mesmo o governo admite que o ano de 2015, com inflação em alta, aumento de desemprego e sem crescimento está pior do que o imaginado.

Por conta desse cenário, se torna cada vez mais necessário aprender a economizar e tomar decisões financeiras apoiadas no planejamento. Quem se prepara adequadamente tem, por exemplo, uma reserva de emergências para enfrentar períodos como estes (clique aqui para aprender a fazer isso).

É indispensável criar um bom controle financeiro, capaz de fechar as torneiras dos gastos e propiciar melhor aproveitamento do dinheiro. Agir com disciplina, conhecimento e organização é fundamental não só para manter o padrão de vida, mas em alguns casos para conseguir passar o mês sem ficar no vermelho.

A maioria das pessoas não se prepara adequadamente para atravessar períodos de crise; o brasileiro costuma ser otimista e, por acreditar que acabará encontrando uma saída para o problema, acaba deixando de lado a necessidade de se preparar para suportar períodos de turbulência.

A situação clássica ocorre quando alguém perde o emprego e, por não ter uma boa reserva de emergência, rapidamente se vê com a corda no pescoço. Daí para problemas mais graves é “um pulo”.

Você não está sozinho

De acordo com a Serasa Experian, em recente levantamento divulgado agora em agosto, 56,4 milhões de brasileiros estão inadimplentes, com dívidas que, somadas, alcançam R$ 243 bilhões.

Esse dado é preocupante e revelador, pois mostra que as pessoas de fato não estão conseguindo arcar com as obrigações assumidas ao longo dos últimos anos. Mais do que isso, a pesquisa deixa claro que muitos brasileiros não estavam preparados para enfrentar a crise ou mesmo realizar compras de forma consciente.

Dívidas não significam necessariamente um dado ruim; o que realmente preocupa são as dívidas em atraso, justamente por isso o dado da pesquisa é preocupante. Lembre-se que os altos juros dos produtos de crédito no país fazem com que o inadimplente em pouco tempo tenha sua dívida elevada.

Em muitos casos, o desespero por não conseguir quitar os pagamentos em atraso faz com que as pessoas utilizem outras formas de crédito, no famoso “um empréstimo para quitar uma dívida”.

Quando bem planejado, este procedimento pode ser positivo, afinal trocar uma dívida cara por uma mais em conta faz todo sentido, mas o que acontece na prática é que, por falta de conhecimento, as pessoas acabam optando por linhas de crédito mais acessíveis e fáceis, que justamente por isso são caras demais. O problema apenas é empurrado com a barriga.

O melhor é encontrar uma forma de quitar a dívida com alternativas mais baratas: trocar a dívida do cartão ou cheque especial pelo empréstimo consignado ou mesmo um empréstimo pessoal é algo que faz sentido, por exemplo.

O cuidado adicional é que as linhas de crédito, mesmo as mais em conta, ainda possuem juros elevados; são mais baratas, é verdade, mas caras se levarmos em consideração os padrões internacionais. Por isso, nesse momento é fundamental utilizar o crédito com responsabilidade e não assumir novas dívidas.

Planejando o orçamento e eliminando as dívidas

Uma dica importante quando o assunto é dinheiro é nunca tomar decisões precipitadas, principalmente quando a decisão de compra esteja associada a acontecimentos especiais, que levam em conta um enorme componente emocional, como despesas de casamento e nascimento de filhos.

Tenha sempre seu orçamento pessoal detalhado como uma referência e tente fazer com que as decisões sejam tomadas de acordo com suas possibilidades e limites. A verdade é que a solução fundamental para ajustar as finanças é categorizar bem os gastos e analisar friamente o resultado a cada mês.

Quando as dívidas tiram o nosso sono, é fundamental identificar gastos que podem ser cortados ou aquelas despesas que possam ser substituídas (caso de cancelamento de assinaturas ou troca de produtos ou serviços por similares, mais baratos).

Outra coisa importante é dar atenção às possibilidades de geração de renda extra (clique para aprender mais), o que costuma aliviar um pouco as coisas em momentos de tensão econômica e contribui para o pagamento de dívidas e despesas mesmo em caso de desemprego de algum membro da família.

Lembre-se que é fundamental contar com o apoio da família, principalmente quando a situação financeira está comprometida. Abrir o jogo e compartilhar o problema faz com que todos possam trabalhar juntos, reduzindo assim a possibilidade de que alguém possa sabotar o objetivo comum do lar.

Baixe nossa planilha gratuita de controle financeiro

Agora que está clara a necessidade de controlar as finanças para encontrar a solução mais adequada para quitar as dívidas e ter uma vida financeira mais tranquila, é fundamental trabalhar com ferramentas eficientes. Nós preparamos uma planilha de orçamento financeira extremamente prática e fácil, e você pode baixá-la gratuitamente (clique aqui para isso).

O Conrado Navarro gravou um vídeo especial mostrando como você pode baixar sua planilha grátis, assista:

Ter o real controle das finanças é indispensável, só assim será possível encontrar as melhores oportunidades que de fato levarão você e sua família rumo à independência financeira. Até a próxima!

Foto “Piggy bank”, Shutterstock.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários