Muito se fala sobre Tesouro Direto, títulos públicos, rendimento seguro e acima da poupança, acessível a todos e outras coisas, mas o que significa tudo isso e por que é tão simples?

O Tesouro Direto é um programa de venda de títulos públicos às pessoas físicas criado em 2002 pelo Tesouro Nacional, em parceria com a BM&FBovespa.

Quando investimos no Tesouro Direto estamos emprestando dinheiro para o governo, que em troca nos pagará uma taxa por isso. O Tesouro Nacional emite os títulos para captar recursos com o objetivo de fazer melhorias em nosso país, como construir escolas, conjuntos habitacionais, creches e etc.

A partir de R$ 80,00 é possível iniciar os investimentos no Tesouro Direto e para investir é muito simples: basta ter CPF, residir no Brasil e ter conta em um banco ou corretora autorizada pelo Tesouro Nacional. Na corretora Rico.com.vc, onde trabalho, você não tem custo nenhum para abrir uma conta e pode fazer tudo isso tudo pela Internet.

Você poderá optar pelos títulos pré-fixados ou pós-fixados. Os pré-fixados oferecem uma taxa fixa até o vencimento do título (você sabe quanto vai ganhar na hora da compra), já os pós-fixados costumam oferecer uma taxa fixa mais a variação de um indexador ou apenas a variação de um indexador.

Ao comprar os títulos você poderá receber uma parte do rendimento de seis em seis meses ou tudo no vencimento, e o pagamento é feito de forma automática em sua conta na corretora ou banco que adquiriu os títulos quando chega a data de vencimento. Explico melhor essa dinâmica em um curso gratuito sobre Tesouro Direto (clique e assista) que gravei com o Conrado Navarro, aqui do Dinheirama.

Todos os títulos tem uma data de vencimento, mas se você precisar do dinheiro antes, fique tranquilo, o Tesouro garante a liquidez de todos os títulos emitidos e você pode vender antecipadamente todas às quartas-feiras pelo seu valor de mercado.

E falando em rendimento, que é o mais importante, as taxas oferecidas são muito atrativas se comparadas com a poupança ou com diversas aplicações conservadoras oferecidas no mercado (pode render de 40% a 80% mais que a poupança dependendo dos títulos escolhidos).

O custo é baixo, girando em torno de 0,4% ao ano, e o Imposto de Renda só é cobrado no vencimento, no pagamento dos juros ou na venda antecipada. Neste caso, quanto mais tempo ficar, menos imposto você vai pagar (é assim com a renda fixa, independente da aplicação escolhida).

Espero ter te ajudado um pouco, mas se você ainda tem dúvidas sobre o Tesouro Direto e como começar a investir em títulos públicos, deixo meu e-mail à disposição: [email protected] – envie sua mensagem e responderei o mais breve possível. Um abraço é até a próxima!

Nota: Esta coluna é mantida pela Rico.com.vc, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Foto “Investment”, Shutterstock.

Caroline Guedes
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários