Na semana passada, comecei a escrever especialmente para você, leitor do Dinheirama, uma série de artigos sobre Tesouro Direto. Os temas foram escolhidos de acordo com os e-mails e mensagens que recebo diariamente no meu trabalho como especialista no assunto e também a partir do contato de vocês no dia a dia do site.

No primeiro artigo, chamado Tesouro Direto: Mais simples do que você imagina (clique aqui se ainda não leu), procurei mostrar que, diferentemente do que muitos imaginam, a simplicidade é uma das principais características do Tesouro Direto, além é claro da ótima rentabilidade (principalmente quando comparada com o principal investimento dos brasileiros, a caderneta de poupança).

Qual título público escolher? Como desvendar a “sopa de letrinhas”?

Dessa forma, agora que você já sabe dessas qualidades do Tesouro Direto, vou apresentar um pouco mais sobre cada tipo de título. Perceba que os nomes podem sugerir uma “sopa de letrinhas” que pode passar uma falsa ideia de complicação, mas ao continuar sua leitura tenho certeza que você será capaz de escolher sem grandes problemas. Vamos lá?

LTN – Letras do Tesouro Nacional

Título prefixado, isto é, no momento da compra você sabe exatamente o que vai receber no vencimento. Fluxo de pagamento muito simples, você aplica hoje e no vencimento você vai receber o valor que aplicou e mais a rentabilidade conhecida no momento da compra.

O interessante também desse título é que todos vão valer R$ 1.000,00 no vencimento, logo, como você adquire antes, vai comprá-lo com deságio, isto é, abaixo de R$ 1.000,00 no título inteiro.

NTN-F – Notas do Tesouro Nacional série F

Também é um título prefixado com rentabilidade conhecida no momento da compra, o que difere da LTN é que você recebe adiantamentos de juros, semestralmente. Os juros são pagos em janeiro e julho totalizando 10% ao ano, agora se você conseguir uma taxa superior a 10%, você vai receber o restante no vencimento do título.

NTN-B Principal – Notas do Tesouro Nacional série B Principal

Título pós-fixado, indexado ao IPCA (indicador oficial de inflação). Nele, no vencimento você recebe o valor que aplicou, uma taxa fixa definida no momento da compra e mais a variação da inflação do período. Esse é um título recomendado para quem quer fazer poupança de longo prazo, como aposentadoria, poupança para os filhos ou até mesmo adquirir um imóvel no futuro.

NTN-B – Notas do Tesouro Nacional série B

Parecida com a NTN-B Principal, a diferença é que você recebe adiantamentos de juros semestralmente, totalizando 6% ao ano. Se você aplica em um título com ano par, por exemplo, 2020, vai receber em fevereiro e agosto e se você aplica em um ano ímpar, por exemplo 2035, vai receber em maio e novembro.

Se você está pensando em um investimento de longo prazo, mas tem interesse em resgatar uma parte da rentabilidade periodicamente (ter fluxo de pagamentos antes do vencimento), esse é o título mais recomendado. O restante da rentabilidade você vai receber no vencimento.

LFT – Letras Financeiras do Tesouro

Título pós-fixado indexado à Selic, nossa taxa básica de juros. Aplicando nele você vai receber no vencimento o valor aplicado e mais a variação da Selic no período, acrescida, se houver, de ágio ou deságio no momento da compra.

Se você, por exemplo, adquirir uma LFT com deságio de 0,01%, vai receber a variação da Selic menos 0,01%. É o título mais conservador de todos, único que se vendido antes do vencimento garante que o investidor receberá a rentabilidade proporcional ao período que ficou com ele.

Tesouro Direto: A hora é agora!

Se você chegou até aqui, tenho certeza de que seu interesse por investir e conhecer mais de perto o que o Tesouro Direto oferece aumentou ainda mais. Pensando em você, preparei um curso gratuito sobre Tesouro Direto (clique e assista), que gravei com o Conrado Navarro, aqui do Dinheirama.

O curso está dividido em quatro vídeos e é uma excelente oportunidade para aprender ainda mais sobre o assunto. Sugiro que assista aos vídeos enquanto escrevo o próximo artigo, que chegará até você na semana que vem, aqui mesmo.

Ainda ficou com dúvidas? Fale diretamente comigo!

Bom, acima listei todos os títulos públicos disponíveis no mercado, mas se você ainda tem dúvidas, ficarei muito feliz em conversar com você e explicar melhor. Para tanto, peço que entre em contato comigo através de meu e-mail direto – [email protected] –, certo? Um abraço é até a próxima!

Nota: Esta coluna é mantida pela Rico.com.vc, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Foto “Smart invest”, Shutterstock.

Caroline Guedes
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários