Alguns leitores enviaram uma sugestão bem interessante: criar um eBook gratuito denso e completo sobre renda fixa e as oportunidades no Brasil com os juros lá em cima. Gostei e decidi criar este material, que você pode baixar clicando aqui. Nele, eu explico quais as principais alternativas de investimento conservadoras existentes no Brasil e o que você deve saber para escolher aquela mais apropriada ao seu perfil (clique e aprenda).

Na próxima semana, mais especificamente nos dias 16 e 17 de setembro, teremos a reunião do Federal Reserve (Fed), o Banco Central dos EUA, que decidirá sobre a política monetária a ser implementada no país para os próximos 45 dias, data da próxima reunião. Este acontecimento transforma a atual semana em um período decisivo para os agentes financeiros do mundo todo diante da expectativa da alta dos juros nos EUA.

Por que isso ocorre? Basicamente pelo fortalecimento visto na economia norte-americana ao longo dos últimos meses, o que pode implicar em uma elevação nas taxas de juros do país de uma banda de zero a 0,25% ao ano para 0,25% ao ano, o que aumentaria a rentabilidade dos títulos do Tesouro dos EUA, considerados os mais seguros do mundo.

Com isso, há a possibilidade de uma grande de migração de capital (se confirmada a elevação dos juros), em especial, fluxo de recursos de mercados emergentes para os EUA, fortalecendo ainda mais o dólar em relação às demais moedas.

Por outro lado, esta decisão ainda está muito aberta e pode ser adiada para o final de 2015 em função das preocupações quanto à desaceleração dos indicadores econômicos da China, da inflação nos EUA (que está abaixo da meta do Fed) e da valorização do dólar, o que pode prejudicar as exportações do país.

Por que estou falando dos juros nos EUA? Esta é outra questão de extrema importância e que mostra que os mercados financeiros do mundo todo estão “entrelaçados”. Por consequência, os seus investimentos no Brasil também estão e merecem atenção.

Em tempos como esse, nossa maior recomendação é cautela, seja para os mercados de ações, câmbio ou renda fixa; viveremos dias de muita volatilidade diante dessas fortes expectativas.

O que fazer com o dinheiro? Como investir neste cenário?

Acredito que pelo menos 5 fatores devem ser observados com cuidado:

  1. Entenda o seu próprio perfil de investidor;
  2. Tenha ciência do prazo para o resgate (necessidade de utilização do valor) de seus recursos aplicados;
  3. Tenha um objetivo pré-estabelecido antes de realizar seus investimentos;
  4. Seja disciplinado, ou seja, mantenha aquilo que projetou para os seus investimentos e respeite sua estratégia;
  5. Entenda o cenário atual e as perspectivas que possam trazer o melhor retorno para o seu investimento de acordo com os fatores acima descritos. Caso precise de ajuda, busque algum profissional que possa te auxiliar.

Sendo mais objetivo, diante de um cenário com volatilidade e cujo riscos aumentam bastante nas operações de renda variável, sugiro que você dê especial atenção para os investimentos conservadores da renda fixa.

Com os juros (Selic) em 14,25% ao ano, as possibilidades de ganhos são bem interessantes com risco bastante baixo. Eu escrevi um eBook gratuito bastante completo sobre isso, clique aqui para fazer o download.

Juntos, seguiremos observando o movimento do mercado e as oportunidades nele contidas. Obrigado e até a próxima!

Nota: Esta coluna é mantida pela Rico.com.vc, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Foto “Brazil business card”, Shutterstock.

Roberto Indech
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários