A poucos dias para o final de um ano bastante conturbado, com os cenários político e econômico adversos, pode parecer exaustivo parar para pensar sobre o melhor destino para o 13º salário.

No entanto, antes de delegar esta tarefa ao seu piloto automático, ou seja, sem parar para fazer contas, é melhor avaliar detalhadamente a sua situação financeira atual a fim de empregar este salário extra da melhor forma possível. Afinal, quem não quer começar bem o ano novo?

Pensando nisso, escrevi esse post com o objetivo de apresentar as melhores formas de utilizar o 13º salário, sozinhas ou combinadas.

Inadimplência x Cheque Especial x Cartão de Crédito

Quem está inadimplente, utilizando o cheque especial e/ou o crédito rotativo do cartão deve priorizar o acerto destas contas. Os juros cobrados por esses produtos são muito altos e não faz sentido investir para ganhar uma taxa de juros de cerca de 1% ao mês e pagar juros entre 8% e 11% ao mês.

Para que essa diferença fique ainda mais clara, fiz uma simulação para um valor de R$ 1 mil que você pode conferir abaixo. Nela comparo a rentabilidade de um bom fundo de renda fixa conservador, o Órama DI Tesouro Master, com os juros pagos no cartão de crédito e no cheque especial.

1 mês

  • Cheque especial: R$ -1.085,00
  • Cartão de crédito: R$ -1.105,00
  • Fundo Órama DI Tesouro Master: R$ +1.009,20

6 meses

  • Cheque especial: R$ -1.631,47
  • Cartão de crédito: R$ -1.820,43
  • Fundo Órama DI Tesouro Master: R$ +1.056,49

12 meses

  • Cheque especial: R$ -2.661,69
  • Cartão de crédito: R$ -3.313,96
  • Fundo Órama DI Tesouro Master: R$ +1.116,16

Dados

  • Juro mensal no cheque especial: 8,5%.
  • Juro mensal no cartão de crédito: 10,5%.
  • Retorno mensal do Órama DI Tesouro Master: 0,92%
Fonte: ANEFAC.

Como você pode verificar, a diferença entre os rendimentos que você ganharia se investir seu dinheiro e os juros que paga por utilizar os limites pré-aprovado são enormes.

Então não tenha dúvidas: eliminar essas dívidas é a prioridade, mas também assuma um compromisso com você de que assim que pagar as dívidas você começará um plano de investimentos.

Adiantar ou não o pagamento de dívidas longas?

Nos últimos anos o financiamento imobiliário permitiu que muitos brasileiros comprassem seu primeiro imóvel ou trocassem aquele que tinham por um que se adequasse melhor às suas necessidades. Dessa forma, atualmente, muitos brasileiros têm dívidas de longo prazo.

Quem possui um financiamento imobiliário ou tem qualquer outra dívida longa deve ponderar se o melhor a fazer com o 13º salário não é adiantar o pagamento de uma ou mais parcelas. Para isto, entre em contato com a instituição que realizou o financiamento e veja qual o desconto concedido no adiantamento das parcelas que tem intenção de quitar.

Com essa informação em mãos você poderá avaliar qual o melhor destino para o seu 13º, já que nem sempre vale a pena adiantar o pagamento. Compare o desconto que você teria com a rentabilidade de um investimento moderado ou conservador, por exemplo.

Início do ano é quando as contas chegam

Como todos sabem, inicio de ano é o período em que as contas mais chegam. É a hora de pagar IPTU, IPVA, de fazer a matrícula das crianças, de comprar material escolar e de acertar as contas com a Receita.

Diante de tantas obrigações, muitas pessoas acabam recorrendo a financiamentos para conseguir arcar com todos esses débitos. Se você não se planejou para estas contas, guarde seu 13º para isso. Dessa forma, não precisará pagar juros de empréstimos.

Ao longo do ano, guarde o dinheiro equivalente ao pagamento das parcelas que você iria pagar se tivesse tomado dinheiro emprestado.

Para evitar a tentação de gastar esse dinheiro e para que ele fique seguro e rendendo até a data do pagamento das contas do próximo ano, você pode investir no fundo Órama DI Tesouro Master , um produto bastante conservador que com a Selic a 11,75% rende sempre mais que a poupança em qualquer período de investimento e tem liquidez diária.

Aposentadoria e reserva para emergências

Uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Consumidor (SPC) revelou que mais de um terço da população brasileira não se prepara financeiramente para a aposentadoria. Esse dado pode ser assustador se pensarmos que a previdência social tem como teto atualmente uma remuneração pouco superior a R$ 4 mil.

Outra pesquisa, da PWC, chegou a uma conclusão bem próxima a da SPC entrevistando americanos, o que mostra que este descuido com a aposentadoria não é exclusivo dos brasileiros. A PWC ainda constatou que 52% dos entrevistados consideram sua situação financeira estressante.

Diante destes dados, reflita sobre a sua vida financeira: você está fazendo aportes regulares em investimentos com o objetivo de manter seu padrão de vida na aposentadoria? Possui reservas para emergências? Elas reúnem o montante de recursos apropriado?

Se você respondeu não a uma das perguntas acima, o melhor seria destinar seu 13º salário para uma destas opções e ter uma vida financeira menos estressante.

Aliás, você sabia que as pessoas que têm uma vida financeira estressante tendem a ter mais problemas de saúde, como dores de cabeça, úlceras e problemas cardíacos? Este é um excelente motivo para você que ainda não investe aproveitar esta época do ano para começar e se proteger também de problemas de saúde!

Presentes de final de ano

Final de ano também é tempo de dar e receber presentes e todos nós gostamos de presentes, não há como negar.

Depois de analisar a sua situação financeira, se você está com todas as contas em dia e fez tantos ou mais aportes nos seus investimentos do que tinha planejado, você pode utilizar parte de seu 13º salário para comprar presentes para a família e amigos.

Afinal, também trabalhamos para poder consumir e é sempre um prazer observar o sorriso no rosto de um parente ou amigo.

Realizando sonhos e objetivos

Investir o 13º salário também é uma excelente escolha para quem deseja antecipar a realização de sonhos e objetivos.

Quem planeja adquirir uma casa de praia em cinco anos, por exemplo, pode conseguir antecipar o projeto se fizer mais aportes do que o planejado e o 13º salário é uma boa oportunidade para isso.

Quando fazemos aportes extras também nos damos a chance de realizar um objetivo em proporções maiores do que aquela que tínhamos imaginado, como, por exemplo, tirar uma semana a mais de férias fora do país.

Se depois de avaliar com maior cautela a sua situação financeira você optar por investir seu 13º salário, o que é a melhor escolha na minha opinião, eu sugiro que aplique este recurso em um investimento conservador, como o fundo Órama DI Tesouro Master, pois o momento é de muitas incertezas ainda, apesar do cenário eleitoral já ter sido definido.

O Órama DI Tesouro Master aplica apenas em LFTs, que são os mesmos títulos do Tesouro Direto, e é uma maneira mais prática e econômica de aplicar em títulos do governo federal. O Órama DI Tesouro Master tem liquidez diária, ou seja, em caso de resgates o seu dinheiro fica disponível no dia seguinte, e rende mais do que a poupança em qualquer período com a Selic no patamar atual de 11,75% ao ano. Clique aqui para conhecer o fundo e acessar a ferramenta  que simula quanto você ganharia com o a poupança e com o Órama DI Tesouro Master.

Se você ainda tiver dúvidas sobre como investir seu 13º salário, entre em contato comigo através do canal “Fale com a Sandra”, no site da Órama.

Obrigada e até a próxima!

Nota: Esta coluna é mantida pela Órama, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Foto: “New year decoration,Closeup on 2015“, Shutterstock.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários